Aprenda desacelerar e controlar a ansiedade

Tendo que dar conta de tudo, está levando muitas pessoas em um grau elevado de ansiedade.

Às vezes a ansiedade é tão constante que acaba fazendo parte de todas as situações de nossas vidas. Até mesmo aquele simples compromisso social que deveria ser agradável e prazeroso, torna-se um sacrifício. 

Hoje vamos falar de alguns pequenos hábitos, simples e acessível, para desacelerar e controlar a ansiedade.

1 – Reflita sobre “tudo que tem que dar conta”

Existem algumas perguntas que devemos fazer para refletir e começar a controlar a ansiedade: 

– O que é tudo que tenho que dar conta? 

– Preciso mesmo dar conta? 

– E se eu deixar de fazer algo desse “tudo” que tenho que dar conta, o que vai acontecer comigo? 

– O que realmente estou sentindo quando estou ansioso (a)? Quais são os sintomas?

Às vezes estamos assumindo as tarefas e compromissos automaticamente e sequer verificamos se existe alguma forma de assumir menos.

Como por exemplo dividir as tarefas entre os moradores da casa ou então pedir para alguém da equipe verificar se tem algum tempo livre para assumir alguma responsabilidade, por mais pequena que seja, para você.

Você também pode avaliar alguma maneira de reduzir sua jornada, seja em casa ou no trabalho. Respondendo as perguntas iniciais, você pode encontrar respostas que te levarão à um plano estratégico de pequeno, médio ou longo prazo de redução de jornada.

2 – Comente sobre sua ansiedade

A cultura que estamos inseridos exige que sejamos fortes ou, independente da cultura, colocamos os “achismos” em nossas vidas, “achando” que devemos ser fortes e não comentar com ninguém sobre nossas fraquezas.

Comentar com pessoas a respeito do cansaço ou ansiedade que está nos deixando fracos é um passo muito importante e que altera nosso estado de consciência para responsabilidade ou ação.

Isso não quer dizer que tenha que sair “reclamando” para todo mundo que está sobrecarregado ou ansioso. Quer dizer bater um papo sincero e descontraído com alguém ou algumas pessoas que confie e que possam te ajudar de alguma forma, pelo menos, te ouvir sem julgar.

3 – Faça um cronograma de suas atividades 

Mantenha um cronograma diário das tarefas que precisa executar no dia, incluindo as tarefas pessoais e profissionais. Deixe um espaço para imprevistos ou atrasos.

No inicio, observe quanto tempo está dedicando a você e quanto tempo aos outros ou, o que faz exclusivamente para você. Lembre-se que você sempre tem que estar em primeiro lugar! Em caso de despressurização “ coloque a máscara primeiro em você”.

Inclua caminhadas ou alongamentos de 15 minutos por dia, banhos sem pressa, um pequeno momento de oração ou meditação diária e refeições sem interrupção. 

4 – Tenha foco no AQUI e AGORA

Muitas pessoas erram em focar no futuro, sendo que o foco deve ser no aqui e agora. Viva um dia de cada vez!

Sim, temos que ter objetivos e metas para alcançar no futuro, mas entenda de uma vez por todas, que você não pode viver no futuro e muito menos controla-lo. O que você pode fazer é ter controle do que acontece AGORA e lembre-se, tudo é inconstante, então dê o seu melhor AQUI e AGORA.

Se tiver dificuldades para viver no presente, respire profundamente quando sua mente está vagando lá na frente ou em pensamentos estressantes, respire, abra os olhos e volte para o presente naquilo que está fazendo. 

Com o tempo esta prática vai se tornar automática e isso fará com que você tome decisões baseadas no presente e você conquistará o bem-estar e foco durante todo o dia. 

5 – Faça pausas

Estar com você faz com que elimine a ansiedade e consequentemente alcançar o bem-estar.

Reserve 5 minutos por dia, em 5 períodos de 1 minuto e faça pausas para respirar e quebrar estados de uma tarefa para a outra. 

Esforce-se para que os 5 períodos de 1 minuto sejam sempre no mesmo horário, assim você cria o hábito e o mantém diário com mais facilidade.

Os períodos podem ser por exemplo, quando acorda, ao sentar-se na cama, antes de se levantar, respire por 1 minuto.

E também antes ou após as refeições, quando entrar no carro, antes de sair para algum compromisso, dentro do ônibus, antes de iniciar uma reunião ou compromisso, antes de dormir, etc… 

Não se esqueça que este período de 1 minuto é sem fazer NADA mesmo, é um momento para você. Respire fundo e quando os pensamentos virem, acolha e os deixe ir.

6 – Desapegue de sentimentos

Na maioria das vezes estamos sobrecarregados porque estamos apegados a sentimentos de poder, reconhecimento, vaidade, controle, sobrevivência e por aí vai…

Não estamos dizendo que isto esteja errado, apenas queremos alertar para ter consciência destes apegos inconscientes que podem lhe custar muito mais caro, que você sequer tem consciência e que não valem coisa alguma, considerado à sua vida. 

Estes apegos estão normalmente escondidos dentro de nossos valores e crenças. Descubra onde está escondido se perguntando: 

– Faço questão em manter este apego porque é o que mais valorizo? 

Ou 

– Estou carregando este peso mental por acreditar naquilo que hoje não faz sentido algum?

Escolha um desses hábitos para seguir, dedique-se e torne-os constantes em sua vida. São simples e não custam dinheiro algum.

Se você praticar um por mês e transformar em hábito, é certo que em 6 meses você será uma outra pessoa e com certeza estará no mínimo 30% menos acelerado e estará com 0% de ansiedade. 

A Asas_DH valoriza em primeiro lugar a auto liderança, pois acreditamos que sem nos liderar, não conseguimos liderar ninguém.

Quer saber como funciona o processo de auto liderança com Cristina Gomes? Acesse o link: Processo de Auto-liderança para impactar o mundo ao seu redor.

Até breve.

O poder do autoconhecimento nas organizações

O autoconhecimento é tarefa imprescindível nos dias de hoje.

A saúde ou a doença, a felicidade ou a infelicidade, a paz ou a violência, o crescimento ou a estagnação, o amor ou o medo, origina-se antes de tudo, de como cada um se vê diante de si mesmo e diante do mundo que habita. 

É um processo antes de coletivo e universal, individual e solitário.  

Hoje, encontramos uma vasta literatura sobre a importância do autoconhecimento. Os grandes Mestres e Iluminados, que já pisaram o nosso Planeta, fosse na filosofia, ciência ou religião, deixaram registrada a necessidade do autoconhecimento; contudo essa atitude é individual e surge de um processo interno da real necessidade de sair do “automatismo”, para o entendimento diante da grande pergunta: Quem sou? De onde vim? Para onde vou?

Esse é um caminho que não tem volta, é aí que o Ser ultrapassa o portal da metamorfose entre a lagarta e a borboleta.

Por ter se afastado de si mesmo, o Homem realiza o caminho de volta, esse é um processo lento e progressivo, a natureza não dá saltos, contudo, muito ainda distante de si mesmo, o Homem busca explicações no que está ainda fora de si e justifica resultados desastrosos sempre no “outro”; a “culpa é do outro!”.

Como uma criança, que ainda vive “o amor primário”, estabelece para si mesmo premiações, presentinhos e com o passar do tempo já não fazem mais o mesmo efeito que antes e os caros objetos de consumo ficam aprisionados por trás de grades, porteiros eletrônicos, fios ou teias elétricas, cofres, dentre outros meios de segurança, servindo muito mais para serem mostrados, do que, realmente aproveitados.

Cresce a capacidade técnica em tornar o corpo físico cada vez mais “perfeito”, dentro dos moldes sociais, como uma fábrica que criam bonecas em série dentro de padrões pré estabelecidos para a satisfação do “outro”; paralelo a essa mesma realidade, essa mesma capacidade técnica, não consegue impedir o aumento considerável e assustador do câncer, das doenças psíquicas, da depressão, do alcoolismo, da dependência química, do suicídio, dentre outras doenças que vitimam “almas” em desarmonia e que trazem registros de grandes insatisfações que não se conhecem, que não sabem de si, por terem levado toda uma caminhada no “outro” satisfazendo um “script social” que nem elas mesmo acreditam. 

Autoconhecimento é vasto e como dissemos, é individual, porém já está mais do que na hora das empresas e principalmente o individuo, olhar para este tema, que é uma das ferramentas mais poderosas para o desenvolvimento. É com o autoconhecimento que conseguimos trabalhar e conviver em harmonia nas empresas e na sociedade.  

Educação corporativa: 

As organizações enfrentam dificuldades na velocidade de sua adaptação à nova realidade. O desconhecimento do futuro, a permanência de traços da cultura anterior, momentos de dificuldades empresariais, a descrença em uma visão compartilhada de futuro, a falta de capacitação para os novos papeis e a “falta de tempo “ são alguns dos fenômenos que (às vezes sintomas, às vezes causas) fazem parte das dificuldades percebidas.

Esse novo contexto empresarial redefine o perfil do trabalhador da era do conhecimento que vem do autoconhecimento. Precisa-se de profissionais que aprendam de forma não convencional e que saibam trabalhar cooperativamente para gerar soluções inovadoras. Além disso, a tecnologia vem permitindo desenvolver experiências para treinar mais pessoas com maior economia. 

O foco do treinamento vai além do empregado isoladamente para o desenvolvimento da capacidade de aprendizado da organização, criando situações que permitam a discussão de problemas comuns e soluções por meio da aprendizagem coletiva, em que os empregados aprendem uns com os outros e compartilham inovações e melhores práticas visando solucionar problemas organizacionais reais. 

Ambiente e Método

Os ambientes de aprendizagem passam a ser reestruturados de forma a tornarem-se proativos, centralizados, determinados e estratégicos e o resultado esperado é o “aprender fazendo”, desenvolvendo a capacidade de aprender e dar continuidade a esse processo na volta ao trabalho. 

Os melhores métodos muito utilizados nas organizações atualmente para o autodesenvolvimento e a educação corporativa tem sido o mentoring e coaching, aplicados através de mentores específicos e lideres coaches.

Mentoria, tutoria ou apadrinhamento, em inglês mentoring, é uma metodologia de desenvolvimento organizacional. 

Essa estratégia é adotada pelas empresas para fortalecer sua cultura e seus valores, reduzir o custo do treinamento das equipes e desenvolver e valorizar os colaboradores.

A mentoria nas empresas funciona da seguinte forma: um colaborador mais experiente acompanha o desenvolvimento de um novo integrante e o ajuda a se preparar para crescer na carreira. 

Resumidamente o mentor é aquele que já passou ou já viveu aquela atividade ou situação, então ele ajuda com seu exemplo e experiência às pessoas chegarem melhor e mais rápido em algum lugar.

Já o Líder Coach não precisa ter passado ou vivido aquilo e muito menos saber daquilo, o que ele faz é ouvir genuinamente as pessoas para lhes fazer melhores perguntas, para que elas cheguem à conclusão da melhor maneira, que é a maneira delas. 

Dentro da educação corporativa, o melhor caminho é através de Líder Coach porque este método leva não só às soluções da empresa, mas ao puro autodesenvolvimento e consequentemente autoconhecimento.

Não podemos confundir melhoria e rapidez do mentor, deixando de usar o líder coach para dar oportunidade em desenvolver as pessoas por elas mesmas.

Outro detalhe, é quando as pessoas chegam à conclusão por elas mesmas, a responsabilidade e admiração são delas e assim elas se conhecem muito mais e o Líder Coach também evolui em seu autoconhecimento. 

Ações para organizações 

Para as organizações facilitarem esse processo, é preciso levantar a bandeira do Líder ser desnecessário. Isso inclui uma equipe autônoma e de alta performance. 

Não é novidade que equipes extraordinárias se guiam sozinhas, deixando o Líder apenas no acompanhamento e na visão sistêmica do negócio. Então, com o autoconhecimento, lideres não serão mais necessários. 

Comece seu autodesenvolvimento agora, respondendo: Se sua equipe atinge resultados extraordinários por sua causa, mas nunca saberão disso, como você se sente?

Considerado o maior maratonista de todos os tempos  Eliud Kipchoge, diz: 100% de mim não é nada comparado a 1% do time inteiro. 

Fontes: Asas_DH | Angela Loan \ Textos públicos e periódicos 

7 técnicas inéditas e muito simples para ter mais tempo.

Todos os dias nos deparamos com pessoas dizendo que não são produtivas, que deixam de fazer parte de suas tarefas diárias ou afirmando que estão procrastinando demais.

Isso pode acontecer por que elas não têm um plano com técnicas simples para facilitar seu dia a dia.

Se este é seu caso ou de alguém que você conheça, dividimos neste artigo, 7 técnicas inéditas, muito simples, para ter mais tempo e deixar o dia muito mais produtivo.

Vamos Começar?

Para começar responda a seguinte pergunta: Você acredita que é multitarefas?

Estudos apontam que apenas 2% das pessoas conseguem ser multitarefas e, pesquisadores afirmam, quando as pessoas sabem disso, elas sempre presumem que fazem parte destes 2%.

Não se iluda, a maioria de nós fazemos parte dos 98%. 

Portanto, temos que nos concentrar em algo chamado tarefa única ou, uma coisa de cada vez. Entretanto, algumas pessoas acreditam que isso é besteira e pensam que estão fazendo menos coisas e que pode levar mais tempo se fizerem uma de cada vez.

Fazendo a tarefa única por vez, não apenas a produtividade e a eficiência aumentam, como também, o cansaço e estresse diminui. 

Experimente tentar não fazer várias coisas diferentes ao mesmo tempo. Pressione “pausa”, dê um passo para trás, respire fundo e concentre-se apenas naquela atividade que se aplicar. 

Separe momentos lógicos e criativos 

Alguns estudos comprovam que não podemos ser criativos e lógicos ao mesmo tempo. O cérebro usa diferentes habilidades para fazer diferentes tipos de tarefas.

Imagine-se em uma reunião o dia inteiro discutindo sobre números, dados e análises e de repente, você é solicitado a fazer algo criativo, talvez escrever um artigo como este. 

Temos que observar que nosso cérebro não muda de uma tarefa para a outra como um pêndulo, isso requer diferentes partes do nosso cérebro e das habilidades que temos.

Organize suas tarefas lógicas e criativas que precisa fazer no dia ou na semana. Existem alguns aplicativos ou planers para isso, mas você pode fazer em uma folha de papel em branco.

Divida a folha ao meio, de um lado escreva suas tarefas lógicas e do outro lado, suas tarefas criativas e verifique onde essas tarefas se encaixam na sua agenda semanal ou em algum período onde você precisa ser mais lógico ou mais criativo. Coloque também, na frente de cada tarefa, qual a estimativa de tempo você precisa para executar cada uma delas e planeje sua semana com os dias que precisa ser mais lógico ou mais criativo. 

Por exemplo, segunda-feira tarefas que preciso ser mais lógico, terça-feira, quarta-feira e quinta-feira mais criativo e por fim, na sexta-feira mais lógico ou então você pode dividir o seu dia em manhãs lógicas e tardes criativas.

Essa divisão permite você imerso na atividade e realmente se concentrar e ser mais produtivo e eficaz.

Use Check List

Transformar a agenda em um check list pode ser impopular, mas acredite, existem pessoas que estão totalmente sobrecarregadas e mesmo assim, não tem uma agenda para ajuda-las. Tenha uma agenda e a transforme em um check list. 

Agendas de smartphones ou até os planers, nos permitem dividir por cores de compromissos pessoais, profissionais, prioridades, horários para descanso, alimentação, exercícios, lazer. Isso permite priorizar as questões pessoais e compromissos profissionais e também, como citamos acima, colocar tarefas que dependem de mais ou menos concentração, tarefas lógicas e tarefas que dependem de mais criatividade, ou de mais concentração à tarde ou pela manhã, dependendo dos compromissos do dia.

Quando temos uma programação dividida por etapas em estilo check list, conseguimos contextualizar mil vezes melhor o bem estar e fazer mais com menos tempo. 

E ainda você pode estar pensando, faço tudo isso, mas no final do dia ainda continuo insatisfeito e parecendo que não fiz nada! Pior ainda, às vezes o tempo passa e nem vemos e quando percebemos, já estamos no meio do ano e nem vimos passar.

Objetivos SEMPRE!

Isso acontece quando não temos objetivos realmente claros. Definir objetivos e tarefas ajuda a gerenciar melhor o tempo.

Faça isso priorizando metas mensais, dividindo seu mês da seguinte forma: 

1 meta grande mensal, uma meta média semanal e uma meta diária pequena. 

Definir metas diárias são os pequenos passos em direção a meta semanal e adicionada às outras metas, leva a grande meta mensal. 

Fazendo isso, você estará em essência, quebrando obstáculos que parecem impossíveis de fazer.

Lembre-se, que fazer tudo igual e querer resultados diferentes, decididamente, não vai te levar a nenhum lugar diferente. Então, pegue uma folha grande e rabisque um modelo e divida por semanas, coloque a meta semanal e uma tarefa diária que o ajudará alcançar a meta semanal, que ajuda você alcançar algo mensal. Simples assim!

Presença

Estar conectado com os exercícios anteriores exige estar presente. 

Na maioria das vezes, fazemos uma atividade, mas estamos pensando o que vamos fazer daqui a pouco, ou amanhã, ou no próximo mês, ano ou até estar pensando no que já passou. 

Você pode melhorar muito mais o seu tempo e consequentemente fazer muito mais tarefas, quando está conectado ao contexto, ou seja, quando realmente está presente de corpo e mente. 

Esteja presente de corpo e mente em tudo o que for fazer. Parece ser fácil, mas na maioria das vezes não é.

Treine sua presença observando em cada tarefa diária a sua atenção somente naquilo que está fazendo. Um excelente exercício é no banho ou ao escovar os dentes. No banho exercite não pensar em mais nada que seja a sensação do banho, a água escorrendo no seu corpo, os aromas, as texturas dos produtos e principalmente, estar somente com você; ao escovar os dentes, experimente conhece-los através do toque das cerdas em cada um deles, qual é o movimento que a escova faz em sua boca.

Tenha em mente que você pode fazer mais coisas ao mesmo tempo desde que estejam conectadas ao contexto, como por exemplo ouvir um podcast sobre negócios, enquanto dirige ou caminha até o trabalho, ou então ouvir uma música relaxante enquanto faz sua caminhada diária. 

Atividades em conjunto e ao mesmo tempo precisam estar conectadas ao contexto, quando não estão, perdemos a presença e consequentemente, perdemos mais tempo para voltar ao foco de nossos objetivos.

Rotinas de tempo e local

O tempo tem memória quando você faz algo no mesmo lugar, todos os dias, na mesma hora e o espaço constrói uma energia, como por exemplo um espaço que você meditou por uma quantidade considerável de tempo, aquele espaço assume uma energia meditativa. 

Da mesma forma quando você faz algo em algum lugar e na mesma hora todos os dias. O tempo tem uma memória, seu corpo também tem e, portanto, torna-se mais fácil. Mesmo se você mora ou trabalha em um espaço pequeno, divida cada canto. Assim você mantém a energia desse espaço “sagrado” e “apropriado” para o que você deseja fazer. 

Com a tendência do home office, às vezes o desafio é trabalhar onde comemos ou dormimos, então confundimos a energia de nosso ambiente, porque as vezes estamos sentados na cama. Então remova essa energia da cama e coloque-a onde ela precisa – as vezes você está levando energia agitada onde precisa descansar – o mesmo acontece onde comemos e se não tem condições de ter outro espaço de trabalho, pelo menos mude o cenário; quando estiver trabalhando na mesa onde faz as refeições, deixe-a com aspecto de mesa de trabalho e quando estiver fazendo refeições idem. 

Descanse

É essencial ter um sono de boa qualidade. É comprovado cientificamente, que ter um sono de 8 horas por dia, deixa as pessoas mais felizes e, acrescentando, dormir antes da meia noite, o sono é extremamente poderoso para sermos mais produtivos com nosso tempo quando estamos acordados. 

Se conseguir dormir às 21h00, estará recebendo essas 3 horas de poder energizante antes da meia noite, que é extremamente fundamental, com isso, você também poderá programar-se para acordar mais cedo e aproveitar mais o seu tempo.

Dormir de 7 a 9 horas por noite é fundamental para ser produtivo com o seu tempo quando está acordado e ser mais feliz.

Para começar a praticar esses 7 passos que acabamos de orientar, você pode começar pelo mais fácil e coloque um prazo para estar aplicando os 7 em sua rotina. 

Você também pode adaptar ao que já faz ou de acordo com suas necessidades, o que você não pode deixar de fazer é aplicar e testar a sua melhor forma. 

Esperamos que consiga aplicar todos e depois nos diga como seu tempo aumentou.

Se preferir um atendimento personalizado em forma de mentoria individual e customizada, de acordo com sua rotina profissional e perfil comportamental, preencha a aplicação neste link e entraremos em contato. 

Fontes:

Jay Shetty 

David Rock

Gary Keller e Jay Papasan

Qual a relação do autodesenvolvimento com resultados organizacionais

Você sabia que o autodesenvolvimento está diretamente relacionado com o seu desempenho profissional?

Isso mesmo! A partir do momento em que você se conhece melhor, passa a identificar e entender o que precisa fazer para conseguir ultrapassar barreiras e superar seus limites para se desenvolver profissionalmente.

Sua sabedoria pessoal te ajuda a evoluir em sua carreira e em qualquer outro aspecto da sua vida. Esse processo contínuo de autodesenvolvimento lhe permite ainda, se adaptar com facilidade à diversas mudanças que são comuns ao longo da vida.

Ficou interessado e deseja saber mais sobre o assunto? Então continue sua leitura e entenda de que forma o autodesenvolvimento pode contribuir positivamente para seus resultados organizacionais. Confira!

Autodesenvolvimento e resultados organizacionais – Entenda a importância dessa relação

Um profissional que deseja garantir bons resultados em sua carreira, precisa desenvolver habilidades para solucionar os desafios comuns no seu ambiente de trabalho. Para isso, é crucial que ele tenha a capacidade de se autodesenvolver.

Isso porque, aqueles que detêm essa capacidade, conseguem naturalmente sair da sua zona de conforto e buscar por fatos novos que lhe ajudam a crescer e atingir um desempenho cada vez melhor em sua carreira.

Além disso, pessoas com capacidade de autodesenvolvimento também possuem a habilidade de avaliar de forma precisa as exigências de sua profissão, assim como as do mercado de trabalho. 

E é justamente devido a características específicas como esta, que suas chances de alcançar bons resultados organizacionais e ser bem-sucedido na carreira são maiores. Quem se autodesenvolve, também desfruta de outros ganhos em sua vida, como aumento de motivação, maior satisfação consigo mesmo, autocontrole sobre as emoções, mais empatia entre outras coisas.

Como conquistar o autodesenvolvimento

Basicamente, existem algumas formas que você pode adotar para conquistar o autodesenvolvimento e alcançar um melhor desempenho no seu ambiente de trabalho. E a primeira delas é:

·      Não se acomode 

Se você deseja se autodesenvolver para garantir resultados melhores no trabalho ou mesmo em sua vida pessoal, uma das primeiras recomendações é procurar desafios.

Afinal de contas, não tem como a mudança que você deseja acontecer, se continuar fazendo as mesmas coisas e permanecer em sua zona de conforto. Para obter resultados diferentes, você precisa adotar atitudes diferentes.

Sendo assim, procure quebrar padrões e vá em busca de novos desafios para sua carreira ou estilo de vida. Dessa forma, você estará contribuindo para o seu progresso, não só enquanto pessoa, mas também em sua carreira profissional.

·      Faça uma análise sincera sobre si mesmo

O mundo está em constante mudança. E com o ser humano acontece a mesma coisa. Por isso, se você quer atingir o autodesenvolvimento, precisa sair do ponto A e ir para o ponto B.

Mas, antes disso, procure fazer uma análise sincera sobre como está sua vida e o que você almeja para o seu futuro. Além disso, essa autoanálise vai permitir que você veja com mais clareza quais são as suas qualidades. E o que você precisa melhorar para a mudança acontecer na sua vida e carreira.

·      Coloque seus planos em prática

Não fique apenas no mundo das ideias e do planejamento. Procure colocar em prática todas as metas que você traçou e tire seus objetivos do papel.

Você precisa fazer com que eles aconteçam e sejam uma realidade em sua vida. Inclusive, é nesse ponto que muitos preferem procrastinar e acabam falhando no seu autodesenvolvimento.

Não faça parte desse grupo. Se por ventura sentir dificuldade em direcionar seus planos para um autodesenvolvimento ou até mesmo de definir os passos que precisa dar para que isso aconteça conforme deseja, busque ajuda especializada, como o coaching, por exemplo.

Entenda que, independentemente de suas decisões, o tempo continua a correr. Então, busque as mudanças necessárias para garantir a evolução da sua carreira e vida pessoal!