Como liderar a nova geração de colaboradores

Com o passar do tempo, a transformação de crianças em jovens, a pandemia inesperada, os modelos home office e o modelo híbrido de trabalho, começa a se formar uma nova geração, com valores e cultura próprios, trazendo uma nova geração de colaboradores para as empresas e junto à mudança, vêm sempre os desafios.

Os jovens e o novos modelos de trabalho, estão trazendo novas perspectivas e insights sobre as mudanças no mercado consumidor e nem sempre, os gestores sabem como lidar com essas novas formas de pensamento. 

Como incluí-los de forma mais eficiente na sua organização?

Para lhe ajudar com essa tarefa, trouxemos aqui 4 práticas que vão ajudar você a lidar com a nova geração de funcionários. 

1. Dê feedback de forma rápida e constante

“Velocidade” é uma das palavras que melhor define este grupo. 

Se você pretende facilitar a inserção de um colaborador da nova cultura, o melhor que você pode fazer é estar por perto, seja on-line ou presencial. 

Ofereça feedback detalhado e rápido, antes que a associação entre esta nova geração e o trabalho seja perdida. 

Para que este feedback seja claro defina “o que” e “quando” a tarefa precisa ser entregue e como vai acompanhar. O que funciona muito neste caso é perguntar para o colaborador, como ele quer que você acompanhe. 

2. Dê espaço para a criatividade

Essa nova geração de funcionários é consideravelmente mais dinâmica que as outras. Elas não buscam aprender e reproduzir métodos já estabelecidos, mas sim encontrar novas formas de fazer coisas antigas. Nem toda inovação é positiva, mas você deve permitir que ela ocorra antes de dizer que foi ruim.

Os cargos ideais para a maior parte dessa geração são aqueles que oferecem flexibilidade. Ter a oportunidade de solucionar problemas é mais interessante do que apenas reproduzir respostas já conhecidas.

3. Oriente de forma prática e objetiva

Palestras motivacionais e de valores são importantes, mas o foco da nova geração no “aqui e agora” exige que você seja relevante imediatamente. Treinamentos e reuniões que promovam a inclusão desse novo perfil na empresa devem ter orientações práticas, algo que eles possam fazer quando saírem dali.

Dizer a uma equipe para promover comunicação é um tanto vago. Mas dizer que façam uma reunião semanal e discutam X pontos, isso é prático.

4. Não imponha respeito, ganhe

O maior erro de muitos gestores ao lidar com uma nova geração de funcionários é tentar impor as velhas hierarquias. Não é que elas tenham perdido sua utilidade ou seu valor, é que ainda não aprenderam a respeitar você como indivíduo, o que impede um bom relacionamento em equipe.

Muitos desses profissionais veem a si mesmos em pé de igualdade com seus colegas. Isso significa que não é possível ser respeitado apenas por ser o gerente. Você precisa provar seu valor todos os dias, tanto quanto eles.

Com essas dicas, você já deve estar mais preparado para liderar essa nova geração de funcionários. Quer se aprofundar mais no tema? Então veja aqui algumas características de todo grande líder.

7 passos para ter sucesso no trabalho e na vida

“A verdade é que equilíbrio é uma bobagem. É um sonho inalcançável… A busca pelo equilíbrio entre trabalho e vida, como viemos a concebê-lo, não é apenas uma proposta prejudicial; é também dolorosa e destrutiva”.

Keith H. Hammonds

Nada alcança equilíbrio absoluto. Nada!

Uma vida equilibrada é uma mentira.

A ideia de equilíbrio é nada mais do que isto, uma ideia. Na filosofia “o meio termo” é o centro moderado entre polos extremos, conceito usado para descrever um lugar intermediário entre duas posições, mais desejável do que um estado ou outro. É uma boa ideia, mas não muito prática. Idealista, mas não realista. O equilíbrio não existe.

Ouvimos tanto falar no equilíbrio que automaticamente acreditamos ser ele exatamente o que deveríamos procurar. Mas não é. 

Propósito, sentido, significado: é isso que constrói uma vida de sucesso. Busque-os e você, com muita certeza, viverá uma vida desiquilibrada, cruzando repetidamente uma linha divisória invisível conforme persegue suas prioridades. 

Substitua a palavra “equilibrado” por “balanceado”, e tudo fará mais sentido. As coisas que acreditamos terem equilíbrio estão, na verdade, balanceadas. A bailarina é um exemplo clássico. Quando ela se apruma en pointe, pode parecer leve feito pluma, flutuando no ar, o verdadeiro conceito de equilíbrio e graça. Um olhar mais próximo revelaria os pés dela vibrando rapidamente. Fazendo ajustes mínimos para se equilibrar. O contrapeso, aplicado corretamente, dá ilusão de equilíbrio.

Na vida pessoal, estar consciente de suas ações é o ingrediente essencial. Estar ciente de seu espírito e de seu corpo, ciente de sua família e de seus amigos, ciente de suas necessidades pessoais; nada disso pode ser sacrificado se você pretende “ter uma vida”. 

Dessa forma, você não pode jamais esquecer sua vida pessoal por causa do trabalho, nem trocar um por outro. É possível alternar rapidamente entre ambos, e até combinar atividades em torno deles, mas não se pode jamais negligenciar nenhum dos dois por muito tempo. Sua vida pessoal, requer rígido balanço.

Na vida pessoal, nada pode ser deixado para trás. No trabalho, isso é necessário.

Quando você muda a palavra de balanço para prioridade, enxerga suas escolhas com mais clareza e abre o caminho para mudar seu destino. Resultados extraordinários exige que você estabeleça prioridades e atue de acordo com elas. Quando você age segundo sua prioridade, fica automaticamente fora de equilíbrio, dando mais tempo para uma coisa em detrimento de outra.

O desafio, portanto, não se trata de sair ou não da zona de equilíbrio, o que é necessário. O desafio, refere-se a quanto tempo focar cada uma das prioridades, sendo capaz de estabelecer sua prioridades fora do trabalho e tendo clareza quanto ao que é prioritário profissionalmente. Evolve voltar para casa conhecendo suas prioridades por lá, para que você possa, depois, voltar ao trabalho.

Quando tiver que trabalhar, trabalhe, e quando tiver que se divertir, divirta-se. Caminhamos, assim, por uma corda bamba esquisita, mas as coisas não estão em seus devidos lugares quando você começa a confundir suas prioridades.

Trecho extraído do livro “A única coisa” de Gary Keller e Jay Papasan

7 passos para ter sucesso no trabalho e na vida

1- Tenha um “oque” para o mundo

O que você quer para mundo?

Dia desses estava conversando com uma cliente e ela estava com algumas inquietações do que estava acontecendo a sua volta; pessoas que não respeitam suas ideias, equipes que não colaboram, líder que não a entendia, muitos afazeres e nenhuma ajuda; ela estava se revoltando com todos e com o mundo. 

Eu perguntei a ela o que ela queria para o mundo, ela me respondeu: Paz! Eu perguntei novamente: suas atitudes a respeito dos acontecimentos que você está tendo vai trazer paz ao mundo?

Responda para você mesmo: O que você quer para o mundo? E observe se cada atitude do seu dia a dia está congruente e a caminho do mundo que você quer ter.

2 – Tenha auto estima

Auto estima é individual e isolada, ninguém trará autoestima a você sem ser você mesmo. Autoestima está ligada aos seus comportamentos, a sua tranquilidade, a acreditar que você veio ao mundo para fazer melhor.

Cuide de seu corpo, da sua mente. Faça exercícios, medite, ouça músicas que goste, leia livros interessantes, converse com pessoas agradáveis, faça o que gosta, dedique no mínimo 15 minutos ao dia somente a você.

Se você tem autoestima, você contamina o mundo a sua volta e dá exemplos através de seus comportamentos. Ame-se em primeiro lugar e o amor virá até você.

3 – Seja íntegro

Ser integro, não quer dizer ser perfeito. Ser integro é se comprometer e cumprir, é não deixar as pessoas ficar esperando, não falar o que não acredita e muito menos o que não faz. 

Viver de acordo com o que valoriza. Fazer o possível para ajudar educar crianças e respeitar os idosos. Respeitar a ecologia e as condições mínimas da sociedade.

4 – Seja você mesmo

Às vezes buscamos por coisas que não estão no nosso controle, tentando ser o que não somos. Seja você mesmo administrando apenas o que você tem controle, não se aventure em ser quem não é, no que não controla.

Se você consegue controlar, seja autêntico, dê feedbacks honestos, fale o que está sentindo. Não adianta fingir, um dia a máscara cai.

Timothy Gallwey, o pai do coaching, me perguntou em dos treinamentos que fazia com ele, qual era a máscara que eu usava, eu respondi que usava a minha própria máscara, e que não tentava controlar nada, que não estivesse sob meu controle. 

Ele continuou fazendo várias outras perguntas, mais profundas, sobre o significado das coisas que eu fazia, cheguei a dura conclusão que eu não era eu mesma e sim, colocava a máscara de “salvadora do mundo”. Eu tentava controlar todos e tudo, sendo que eu não tinha controle nem de 1% do que eu estava tentando controlar sem ser eu mesma, gastando minha energia em coisas que não controlava. 

Quando eu tive esta consciência, eu me esforço a cada dia para usar a minha máscara natural e ser quem realmente eu quero ser.

Pense se você não está usando alguma máscara que não seja sua e querendo controlar o que você não controla, tenha consciência disso e seja você mesmo.

5 – Tenha coragem

Às Vezes deixamos de fazer algo, falar algo, ter algumas atitudes e perdemos oportunidades que nunca mais voltam.

Existe uma frase de um autor desconhecido que gosto muito “se der medo vai com medo mesmo”

Existem algumas pessoas que admiro muito por sua coragem. Para quem já leu o livro de “Oprah – Uma biografia” descobre que ela conseguiu a maioria das coisas desenvolvendo uma coragem que não tinha; o livro de Stephen R. Covey “O poder da Confiança” prova cientificamente, como ter coragem nos levam inclusive a simplificar tudo.

Temos que ter coragem, inclusive, para ser simples e para conquistar nosso espaço com esta simplicidade.

A coragem não está ligada a poder e sim a ser autêntico e descomplicar o que a vida deixou tão complicada para nós.

6 – Não julgue

As pessoas são criadas em famílias, cidades, países e culturas diferentes. Cada uma tem seu mapa, seu território, seus valores e suas crenças.

Extraia da melhor maneira, o melhor dos outros, sem julgar, sem rotular. Converse com as pessoas para saber o que elas pensam, antes de julgar o que elas estão pensando.

Aparência, também é um grande vilão do julgamento. Certo dia, uma grande executiva, me disse que as pessoas a julgavam por sua expressão facial, ela tinha uma expressão de “brava” mas na realidade, era um doce de Mulher. Como ela sabia que não mudava ninguém, passou a se esforçar para ter uma expressão facial mais suave, incluindo um leve sorriso no rosto, assim as pessoas se aproximavam mais dela e consequentemente confiavam mais.

Temos que acabar com julgamentos por “aparência” e “achismo”, aceitar as pessoas do jeito que são. Assim seremos mais claros e diretos no nosso objetivo, sem dar meia voltas, gastando energia mental e bloqueios com julgamentos.

7 – Seja intenso

Não faça nada mais ou menos, faça intensamente.

Algumas pessoas, principalmente as mulheres, tem o dom natural da intensidade, mas às vezes, se deixa levar por interferências externas que tiram seu vigor e sua força.

Não deixe as interferências externas levar sua intensidade, seja intenso 24 horas por dia.

Desejo que tenha muito sucesso! Grande abraço 

Cristina Gomes 

Visite nosso Instagram para conteúdos como este @asas_dh

Pedidos de demissão em ritmo acelerado!

Em todo o mundo, milhões de pessoas estão repensando a maneira como trabalham e vivem.

Quase metade dos trabalhadores do mundo está pensando em pedir demissão, segundo pesquisa da Microsoft. Quatro em cada dez entrevistados da geração Y e da geração Z deixariam o emprego na hipótese de voltarem ao trabalho presencial, diz a consultoria Qualtrics International, percentual acima de outras gerações. Os mais velhos criticaram essas atitudes como privilegiadas e preguiçosas. Mas a realidade é que o tamanho da jornada de trabalho cai há décadas nos países ricos, em todas as faixas etárias.

Estados Unidos bateram recorde de profissionais pedindo demissão em 2021: só em novembro foram 4,5 milhões, o equivalente a cerca de 3% da força de trabalho do país. 

No Brasil são os profissionais mais qualificados e escolarizados que estão pedindo demissão. Especialistas afirmam, no entanto, que é improvável que haja no país algo que se equipare ao fenômeno visto no mercado americano. 

Pesquisa aponta que 85% dos recrutadores têm dificuldade para achar candidatos. As empresas precisam se adaptar as novas exigências dos colaboradores. Você acredita que as empresas estão preparadas para essa nova realidade?  

O sucesso de qualquer negócio, independentemente do tipo de serviço ou produto oferecido, depende intimamente da qualidade da sua equipe. Tão importante quanto desenvolver um time com bases sólidas e pessoas comprometidas com os resultados é oferecer meios para que este grupo se mantenha fiel à sua empresa.

Reter talentos é um dos maiores desafios na atualidade. 

Houve uma época em que “tempo de registro em carteira” era considerado um orgulho e um mérito exibido como troféu. Muitas pessoas permaneciam durante anos na mesma empresa e ali se aposentavam. Este cenário mudou, ao passo que a permanência no emprego passou a ser condicionada a uma série de fatores relacionados ao chamado mundo pós pandemia e o novo perfil de colaboradores. 

Contudo, o papel do líder passou a ser identificar, desenvolver e reter talentos com potencial para fazer a diferença na organização.

O que motiva as pessoas no trabalho?

Pessoas cada vez mais ansiosas, imediatistas e pouco pacientes para resultados a longo prazo. O novo perfil de colaborador contempla pessoas com características semelhantes: são ambiciosos, estão aptos a exercerem múltiplas funções (desde que bem orientados e direcionados para isso), são altamente conectados com tecnologia e novidades de mercado, são aspiracionais e emocionais – movidos por fatores ligados a autoestima e realização pessoal, logo, são pessoas mais conscientes da sua necessidade de estudar e se capacitar cada vez mais.

As lideranças organizacionais precisam estar atentas ao exercício diário de estimular a capacidade dos seus colaboradores. Assim, como no processo de pesquisa de mercado, que avalia as necessidades, anseios, características e comportamentos do cliente externo; faz-se necessário uma visão para o cliente interno: os colaboradores que farão as engrenagens da sua empresa funcionarem de maneira saudável, algo que só ocorre se o time encontrar espaço e autonomia para tal tarefa.

Muito além do salário ou pacote de benefícios as pessoas esperam oportunidades e crescimento e desenvolvimento dentro de uma empresa. O fator financeiro é importante, porém, a chance de aprender algo novo todos os dias, ter um suporte do líder, com dicas, orientações e apoio para atingir a excelência; ter uma a consciência da sua própria atuação, através de um diálogo claro e uma gestão horizontal são pilares muito mais seguros e assertivos na difícil missão de minimizar a evasão de talentos.

Conheça as ferramentas que vão revolucionar os resultados da sua empresa e tornar o seu time imbatível. A Asas DH pode mudar a realidade do seu negócio e potencializar os seus ganhos. Conheça o Coaching e suas diferentes modalidades, que vão ao encontro das suas necessidades pessoais e profissionais. Clique aqui e tenha mais informações sobre nossos serviços.

Modelo híbrido de trabalho humanizado

O modelo de trabalho híbrido veio para ficar e devem focar a atração e a retenção de talentos. Assim, a produtividade e o alcance dos objetivos serão mantidos. Veja o que fazer para manter e motivar colaboradores no modelo hibrido de trabalho humanizado.

Não é só um clichê – “esse modelo veio para ficar”. Afinal, as vantagens são imensas e variadas, o que precisamos fazer é nos adaptar de uma vez por todas e humanizar cada vez mais o processo.

Entre as principais vantagens do modelo híbrido estão:

– Flexibilidade;

– Produtividade na era do trabalho híbrido;

– Redução de custos;

– Qualidade de vida aos colaboradores.

Perceba que entre esses principais benefícios as empresas não precisaram investir nada ou quase nada, pois são derivados do próprio modelo de trabalho.

modelo híbrido de trabalho requer uma convivência humanizada ao colaborador

Isso porque o colaborador espera mais do que ter os seus problemas resolvidos. Ele deseja ter uma boa experiência na empresa para crescer e evoluir juntos.

É nesse cenário que o modelo híbrido de trabalho humanizado tem conquistado cada vez mais espaço dentro das organizações, já que, se implantado com sucesso, é capaz de contribuir para o fortalecimento de ambas partes, o que é fundamental para a sustentabilidade de qualquer negócio.

O que significa modelo hibrido de trabalho humanizado?

Podemos entender como modelo hibrido de trabalho humanizado o processo em que o colaborador, tem as suas necessidades básicas de convivência atendidas com sucesso, ao mesmo tempo em que a abordagem acontece com empatia e foco na resolução de problemas.

Assim, ao aliar os desejos dos colaboradores com atividades e respostas precisas de uma gestão mais humana, é possível estabelecer uma conexão mais próxima com o colaborador, o que ajuda nos processos de comunicação.

Isso é essencial para construir um conteúdo interativo contribuindo para identificar as melhores soluções para os colaboradores.

Com isso, é possível proporcionar uma melhor experiência, e a empresa, além de aumentar as chances de retenção de talentos, também tem a oportunidade de criar verdadeiros defensores de suas marcas.

Leia a seguir, o que a rede de coworking BeerOrCoffee, https:// publicou em um de seus artigos, sobre duas grandes empresas, que já humanizaram o trabalho hibrido. 

Flexibilidade total como uma das estratégias de trabalho híbrido

Culture Trip tem um nome bacana, em português “Cultura de Viagem”. Entretanto, estabelecia somente o trabalho presencial até a chegada da pandemia. Depois disso, veio a necessidade do isolamento social, o que fez a empresa aplicar uma pesquisa para saber como seria a estratégia de trabalho híbrido no retorno ao escritório.

O estudo indicou que 94% dos colaboradores gostariam de manter a flexibilidade no trabalho no futuro. Com isso, foi lançada a política Feel Good Flex. A partir dela, o colaborador pode literalmente exercer suas atividades de qualquer lugar e a qualquer momento.

Até aqui, parece tudo normal. Mas não é. O mesmo profissional pode trabalhar no escritório em um dia, em um café ou coworking no outro e em casa no restante da semana. Ou ficar todo o tempo em casa. Ou, ainda, optar por só ficar na empresa. Aliás, pode até mesmo estar em mais de um lugar no mesmo dia.

Assim, a flexibilidade é realmente total. Isso porque a empresa já valorizava esse aspecto, apesar de ser muito centrada no trabalho presencial antes da pandemia.

Oferta de subsídios para o trabalho híbrido

Poucas empresas se preocuparam com o bem-estar dos colaboradores no home office. O iFood se destacou e, logo no começo da pandemia, a empresa reservou uma verba para que todos pudessem montar o seu cantinho de trabalho em casa. Além disso, luz e internet passaram a ser subsidiados.

A medida foi tomada devido à importância das tecnologias para os trabalhadores remotos. Ainda teve mais. A empresa aderiu ao OfficePass, do BeerOrCoffee. Ou seja, fez uma assinatura mensal para que todos os colaboradores pudessem utilizar os coworkings da rede. Assim, foi possível utilizar espaços compartilhados em mais de 160 cidades do Brasil, e alguns espaços em Portugal também. 

Esse cenário fez com que muitos profissionais voltassem às suas cidades de origem para ficarem mais perto da família e de uma vida mais tranquila. Essa movimentação foi crucial para garantir a saúde mental dos colaboradores. 

“Tivemos um preparo muito grande e intenso para lidar com todos de forma individual. Como a pessoa está de saúde, como está seu emocional e como está seu ambiente de trabalho”, reforçou a People OPS — Benefits Management, Vanessa Zietlow.

Agora, a empresa ainda adota outras estratégias de trabalho híbrido relevantes. Por exemplo, uma reunião com as equipes de trabalho híbrido é realizada a cada 15 dias. Nesse encontro, um voucher é oferecido para que a pessoa peça algo pelo iFood. Assim, é feito um happy hour.

Ainda existem outros encontros interativos. Todos servem para fomentar a cultura organizacional com todos os seus valores e princípios.

Além das baias e das paredes

Nós da Asas acreditamos em: Medir Resultados da Entrega. E é este modelo que trabalhamos com nossos clientes.

Com os colaboradores cientes dos resultados a serem entregues e com a gestão alinhada com o desenvolvimento e acompanhamento desses resultados – afinal, o que não é medido, não é gerenciado

Ao contrário do que alguns pensam, os colaboradores gostam de saber que estão com gestores que os acompanhem, ajudem e os incentivem a alcançarem resultados.

Existem várias ferramentas gratuitas no mercado que podem nos ajudar a medir resultados e principalmente nos ajudar a humanizar o relacionamento a distancia, como:

Trello

Trello é um sistema de quadro virtual para gerenciamento de tarefas que segue o método “kanban”, muito usado no desenvolvimento com Scrum. Ele permite a criação de diversos quadros, nos quais podemos criar quantas colunas quisermos. O plano básico é gratuito. 

Check-list Defina um check-list básico às segundas, em uma reunião rápida de 10 minutos, dos pontos principais que você precisa que o colaborador atinja. O Trello pode ajudar no modelo de check-list, mas pode ser feito manualmente em uma planilha de world e depois vá aperfeiçoando conforme os resultados a serem atingidos. Lembre-se: o importante é fazer para medir e depois ajuste conforme insights e necessidades. 

MindMeister

Software líder de mapeamento mental on-line. Milhões de usuários realizam brainstorms e trabalham em mapas mentais de forma colaborativa. O plano básico é gratuito.

Youtube: Crie sua conta no Youtube e faça vídeo aulas para ajudar sua equipe e/ou amigos e clientes. Você pode criar play lists dentro de sua conta e autorizar somente os grupos que quer compartilhar. 

Pode ser usado em modo “não listado” para que apenas as pessoas com o link tenham acesso ao conteúdo gravado – aqui você pode fazer todo processo de onboarding de sua empresa, padronizar os treinamentos das atividades dos colaboradores (imagine a economia de tempo e esforço em um processo de onboarding de boas vindas e ainda ser treinado no próprio onboarding), vídeos interativos com a equipe (uma vez por semana um colaborador poderá gravar um pequeno vídeo de uma curiosidade sobre ele) e muitos outros…

Blog: Existem várias ferramentas disponíveis gratuitas. É só pesquisar qual é mais adequada a você e sua empresa. Crie seu blog e abasteça-o, com a ajuda dos colaboradores, com histórias e artigos sobre a trajetória e conteúdos da empresa.

TED: Indique palestras para os colaboradores assistirem do TED.com – Escolha os temas que conecte com a empresa e uma vez por semana, reserve 15 minutos para discutir o tema com a equipe. 

Calendly – calendly.com – versão básica gratuita – Agenda para compartilhar – crie um link de sua agenda e compartilhe para que as próprias pessoas vejam sua disponibilidade e marquem horários com você  

Ferramentas para humanizar é que não faltam, agora é mãos a obra para integrar e humanizar cada dia mais sua equipe, para sua empresa voar cada vez mais alto. 

Aonde você quer chegar? Agora você tem Asas. 

Aprenda desacelerar e controlar a ansiedade

Tendo que dar conta de tudo, está levando muitas pessoas em um grau elevado de ansiedade.

Às vezes a ansiedade é tão constante que acaba fazendo parte de todas as situações de nossas vidas. Até mesmo aquele simples compromisso social que deveria ser agradável e prazeroso, torna-se um sacrifício. 

Hoje vamos falar de alguns pequenos hábitos, simples e acessível, para desacelerar e controlar a ansiedade.

1 – Reflita sobre “tudo que tem que dar conta”

Existem algumas perguntas que devemos fazer para refletir e começar a controlar a ansiedade: 

– O que é tudo que tenho que dar conta? 

– Preciso mesmo dar conta? 

– E se eu deixar de fazer algo desse “tudo” que tenho que dar conta, o que vai acontecer comigo? 

– O que realmente estou sentindo quando estou ansioso (a)? Quais são os sintomas?

Às vezes estamos assumindo as tarefas e compromissos automaticamente e sequer verificamos se existe alguma forma de assumir menos.

Como por exemplo dividir as tarefas entre os moradores da casa ou então pedir para alguém da equipe verificar se tem algum tempo livre para assumir alguma responsabilidade, por mais pequena que seja, para você.

Você também pode avaliar alguma maneira de reduzir sua jornada, seja em casa ou no trabalho. Respondendo as perguntas iniciais, você pode encontrar respostas que te levarão à um plano estratégico de pequeno, médio ou longo prazo de redução de jornada.

2 – Comente sobre sua ansiedade

A cultura que estamos inseridos exige que sejamos fortes ou, independente da cultura, colocamos os “achismos” em nossas vidas, “achando” que devemos ser fortes e não comentar com ninguém sobre nossas fraquezas.

Comentar com pessoas a respeito do cansaço ou ansiedade que está nos deixando fracos é um passo muito importante e que altera nosso estado de consciência para responsabilidade ou ação.

Isso não quer dizer que tenha que sair “reclamando” para todo mundo que está sobrecarregado ou ansioso. Quer dizer bater um papo sincero e descontraído com alguém ou algumas pessoas que confie e que possam te ajudar de alguma forma, pelo menos, te ouvir sem julgar.

3 – Faça um cronograma de suas atividades 

Mantenha um cronograma diário das tarefas que precisa executar no dia, incluindo as tarefas pessoais e profissionais. Deixe um espaço para imprevistos ou atrasos.

No inicio, observe quanto tempo está dedicando a você e quanto tempo aos outros ou, o que faz exclusivamente para você. Lembre-se que você sempre tem que estar em primeiro lugar! Em caso de despressurização “ coloque a máscara primeiro em você”.

Inclua caminhadas ou alongamentos de 15 minutos por dia, banhos sem pressa, um pequeno momento de oração ou meditação diária e refeições sem interrupção. 

4 – Tenha foco no AQUI e AGORA

Muitas pessoas erram em focar no futuro, sendo que o foco deve ser no aqui e agora. Viva um dia de cada vez!

Sim, temos que ter objetivos e metas para alcançar no futuro, mas entenda de uma vez por todas, que você não pode viver no futuro e muito menos controla-lo. O que você pode fazer é ter controle do que acontece AGORA e lembre-se, tudo é inconstante, então dê o seu melhor AQUI e AGORA.

Se tiver dificuldades para viver no presente, respire profundamente quando sua mente está vagando lá na frente ou em pensamentos estressantes, respire, abra os olhos e volte para o presente naquilo que está fazendo. 

Com o tempo esta prática vai se tornar automática e isso fará com que você tome decisões baseadas no presente e você conquistará o bem-estar e foco durante todo o dia. 

5 – Faça pausas

Estar com você faz com que elimine a ansiedade e consequentemente alcançar o bem-estar.

Reserve 5 minutos por dia, em 5 períodos de 1 minuto e faça pausas para respirar e quebrar estados de uma tarefa para a outra. 

Esforce-se para que os 5 períodos de 1 minuto sejam sempre no mesmo horário, assim você cria o hábito e o mantém diário com mais facilidade.

Os períodos podem ser por exemplo, quando acorda, ao sentar-se na cama, antes de se levantar, respire por 1 minuto.

E também antes ou após as refeições, quando entrar no carro, antes de sair para algum compromisso, dentro do ônibus, antes de iniciar uma reunião ou compromisso, antes de dormir, etc… 

Não se esqueça que este período de 1 minuto é sem fazer NADA mesmo, é um momento para você. Respire fundo e quando os pensamentos virem, acolha e os deixe ir.

6 – Desapegue de sentimentos

Na maioria das vezes estamos sobrecarregados porque estamos apegados a sentimentos de poder, reconhecimento, vaidade, controle, sobrevivência e por aí vai…

Não estamos dizendo que isto esteja errado, apenas queremos alertar para ter consciência destes apegos inconscientes que podem lhe custar muito mais caro, que você sequer tem consciência e que não valem coisa alguma, considerado à sua vida. 

Estes apegos estão normalmente escondidos dentro de nossos valores e crenças. Descubra onde está escondido se perguntando: 

– Faço questão em manter este apego porque é o que mais valorizo? 

Ou 

– Estou carregando este peso mental por acreditar naquilo que hoje não faz sentido algum?

Escolha um desses hábitos para seguir, dedique-se e torne-os constantes em sua vida. São simples e não custam dinheiro algum.

Se você praticar um por mês e transformar em hábito, é certo que em 6 meses você será uma outra pessoa e com certeza estará no mínimo 30% menos acelerado e estará com 0% de ansiedade. 

A Asas_DH valoriza em primeiro lugar a auto liderança, pois acreditamos que sem nos liderar, não conseguimos liderar ninguém.

Quer saber como funciona o processo de auto liderança com Cristina Gomes? Acesse o link: Processo de Auto-liderança para impactar o mundo ao seu redor.

Até breve.

O poder do autoconhecimento nas organizações

O autoconhecimento é tarefa imprescindível nos dias de hoje.

A saúde ou a doença, a felicidade ou a infelicidade, a paz ou a violência, o crescimento ou a estagnação, o amor ou o medo, origina-se antes de tudo, de como cada um se vê diante de si mesmo e diante do mundo que habita. 

É um processo antes de coletivo e universal, individual e solitário.  

Hoje, encontramos uma vasta literatura sobre a importância do autoconhecimento. Os grandes Mestres e Iluminados, que já pisaram o nosso Planeta, fosse na filosofia, ciência ou religião, deixaram registrada a necessidade do autoconhecimento; contudo essa atitude é individual e surge de um processo interno da real necessidade de sair do “automatismo”, para o entendimento diante da grande pergunta: Quem sou? De onde vim? Para onde vou?

Esse é um caminho que não tem volta, é aí que o Ser ultrapassa o portal da metamorfose entre a lagarta e a borboleta.

Por ter se afastado de si mesmo, o Homem realiza o caminho de volta, esse é um processo lento e progressivo, a natureza não dá saltos, contudo, muito ainda distante de si mesmo, o Homem busca explicações no que está ainda fora de si e justifica resultados desastrosos sempre no “outro”; a “culpa é do outro!”.

Como uma criança, que ainda vive “o amor primário”, estabelece para si mesmo premiações, presentinhos e com o passar do tempo já não fazem mais o mesmo efeito que antes e os caros objetos de consumo ficam aprisionados por trás de grades, porteiros eletrônicos, fios ou teias elétricas, cofres, dentre outros meios de segurança, servindo muito mais para serem mostrados, do que, realmente aproveitados.

Cresce a capacidade técnica em tornar o corpo físico cada vez mais “perfeito”, dentro dos moldes sociais, como uma fábrica que criam bonecas em série dentro de padrões pré estabelecidos para a satisfação do “outro”; paralelo a essa mesma realidade, essa mesma capacidade técnica, não consegue impedir o aumento considerável e assustador do câncer, das doenças psíquicas, da depressão, do alcoolismo, da dependência química, do suicídio, dentre outras doenças que vitimam “almas” em desarmonia e que trazem registros de grandes insatisfações que não se conhecem, que não sabem de si, por terem levado toda uma caminhada no “outro” satisfazendo um “script social” que nem elas mesmo acreditam. 

Autoconhecimento é vasto e como dissemos, é individual, porém já está mais do que na hora das empresas e principalmente o individuo, olhar para este tema, que é uma das ferramentas mais poderosas para o desenvolvimento. É com o autoconhecimento que conseguimos trabalhar e conviver em harmonia nas empresas e na sociedade.  

Educação corporativa: 

As organizações enfrentam dificuldades na velocidade de sua adaptação à nova realidade. O desconhecimento do futuro, a permanência de traços da cultura anterior, momentos de dificuldades empresariais, a descrença em uma visão compartilhada de futuro, a falta de capacitação para os novos papeis e a “falta de tempo “ são alguns dos fenômenos que (às vezes sintomas, às vezes causas) fazem parte das dificuldades percebidas.

Esse novo contexto empresarial redefine o perfil do trabalhador da era do conhecimento que vem do autoconhecimento. Precisa-se de profissionais que aprendam de forma não convencional e que saibam trabalhar cooperativamente para gerar soluções inovadoras. Além disso, a tecnologia vem permitindo desenvolver experiências para treinar mais pessoas com maior economia. 

O foco do treinamento vai além do empregado isoladamente para o desenvolvimento da capacidade de aprendizado da organização, criando situações que permitam a discussão de problemas comuns e soluções por meio da aprendizagem coletiva, em que os empregados aprendem uns com os outros e compartilham inovações e melhores práticas visando solucionar problemas organizacionais reais. 

Ambiente e Método

Os ambientes de aprendizagem passam a ser reestruturados de forma a tornarem-se proativos, centralizados, determinados e estratégicos e o resultado esperado é o “aprender fazendo”, desenvolvendo a capacidade de aprender e dar continuidade a esse processo na volta ao trabalho. 

Os melhores métodos muito utilizados nas organizações atualmente para o autodesenvolvimento e a educação corporativa tem sido o mentoring e coaching, aplicados através de mentores específicos e lideres coaches.

Mentoria, tutoria ou apadrinhamento, em inglês mentoring, é uma metodologia de desenvolvimento organizacional. 

Essa estratégia é adotada pelas empresas para fortalecer sua cultura e seus valores, reduzir o custo do treinamento das equipes e desenvolver e valorizar os colaboradores.

A mentoria nas empresas funciona da seguinte forma: um colaborador mais experiente acompanha o desenvolvimento de um novo integrante e o ajuda a se preparar para crescer na carreira. 

Resumidamente o mentor é aquele que já passou ou já viveu aquela atividade ou situação, então ele ajuda com seu exemplo e experiência às pessoas chegarem melhor e mais rápido em algum lugar.

Já o Líder Coach não precisa ter passado ou vivido aquilo e muito menos saber daquilo, o que ele faz é ouvir genuinamente as pessoas para lhes fazer melhores perguntas, para que elas cheguem à conclusão da melhor maneira, que é a maneira delas. 

Dentro da educação corporativa, o melhor caminho é através de Líder Coach porque este método leva não só às soluções da empresa, mas ao puro autodesenvolvimento e consequentemente autoconhecimento.

Não podemos confundir melhoria e rapidez do mentor, deixando de usar o líder coach para dar oportunidade em desenvolver as pessoas por elas mesmas.

Outro detalhe, é quando as pessoas chegam à conclusão por elas mesmas, a responsabilidade e admiração são delas e assim elas se conhecem muito mais e o Líder Coach também evolui em seu autoconhecimento. 

Ações para organizações 

Para as organizações facilitarem esse processo, é preciso levantar a bandeira do Líder ser desnecessário. Isso inclui uma equipe autônoma e de alta performance. 

Não é novidade que equipes extraordinárias se guiam sozinhas, deixando o Líder apenas no acompanhamento e na visão sistêmica do negócio. Então, com o autoconhecimento, lideres não serão mais necessários. 

Comece seu autodesenvolvimento agora, respondendo: Se sua equipe atinge resultados extraordinários por sua causa, mas nunca saberão disso, como você se sente?

Considerado o maior maratonista de todos os tempos  Eliud Kipchoge, diz: 100% de mim não é nada comparado a 1% do time inteiro. 

Fontes: Asas_DH | Angela Loan \ Textos públicos e periódicos 

7 técnicas inéditas e muito simples para ter mais tempo.

Todos os dias nos deparamos com pessoas dizendo que não são produtivas, que deixam de fazer parte de suas tarefas diárias ou afirmando que estão procrastinando demais.

Isso pode acontecer por que elas não têm um plano com técnicas simples para facilitar seu dia a dia.

Se este é seu caso ou de alguém que você conheça, dividimos neste artigo, 7 técnicas inéditas, muito simples, para ter mais tempo e deixar o dia muito mais produtivo.

Vamos Começar?

Para começar responda a seguinte pergunta: Você acredita que é multitarefas?

Estudos apontam que apenas 2% das pessoas conseguem ser multitarefas e, pesquisadores afirmam, quando as pessoas sabem disso, elas sempre presumem que fazem parte destes 2%.

Não se iluda, a maioria de nós fazemos parte dos 98%. 

Portanto, temos que nos concentrar em algo chamado tarefa única ou, uma coisa de cada vez. Entretanto, algumas pessoas acreditam que isso é besteira e pensam que estão fazendo menos coisas e que pode levar mais tempo se fizerem uma de cada vez.

Fazendo a tarefa única por vez, não apenas a produtividade e a eficiência aumentam, como também, o cansaço e estresse diminui. 

Experimente tentar não fazer várias coisas diferentes ao mesmo tempo. Pressione “pausa”, dê um passo para trás, respire fundo e concentre-se apenas naquela atividade que se aplicar. 

Separe momentos lógicos e criativos 

Alguns estudos comprovam que não podemos ser criativos e lógicos ao mesmo tempo. O cérebro usa diferentes habilidades para fazer diferentes tipos de tarefas.

Imagine-se em uma reunião o dia inteiro discutindo sobre números, dados e análises e de repente, você é solicitado a fazer algo criativo, talvez escrever um artigo como este. 

Temos que observar que nosso cérebro não muda de uma tarefa para a outra como um pêndulo, isso requer diferentes partes do nosso cérebro e das habilidades que temos.

Organize suas tarefas lógicas e criativas que precisa fazer no dia ou na semana. Existem alguns aplicativos ou planers para isso, mas você pode fazer em uma folha de papel em branco.

Divida a folha ao meio, de um lado escreva suas tarefas lógicas e do outro lado, suas tarefas criativas e verifique onde essas tarefas se encaixam na sua agenda semanal ou em algum período onde você precisa ser mais lógico ou mais criativo. Coloque também, na frente de cada tarefa, qual a estimativa de tempo você precisa para executar cada uma delas e planeje sua semana com os dias que precisa ser mais lógico ou mais criativo. 

Por exemplo, segunda-feira tarefas que preciso ser mais lógico, terça-feira, quarta-feira e quinta-feira mais criativo e por fim, na sexta-feira mais lógico ou então você pode dividir o seu dia em manhãs lógicas e tardes criativas.

Essa divisão permite você imerso na atividade e realmente se concentrar e ser mais produtivo e eficaz.

Use Check List

Transformar a agenda em um check list pode ser impopular, mas acredite, existem pessoas que estão totalmente sobrecarregadas e mesmo assim, não tem uma agenda para ajuda-las. Tenha uma agenda e a transforme em um check list. 

Agendas de smartphones ou até os planers, nos permitem dividir por cores de compromissos pessoais, profissionais, prioridades, horários para descanso, alimentação, exercícios, lazer. Isso permite priorizar as questões pessoais e compromissos profissionais e também, como citamos acima, colocar tarefas que dependem de mais ou menos concentração, tarefas lógicas e tarefas que dependem de mais criatividade, ou de mais concentração à tarde ou pela manhã, dependendo dos compromissos do dia.

Quando temos uma programação dividida por etapas em estilo check list, conseguimos contextualizar mil vezes melhor o bem estar e fazer mais com menos tempo. 

E ainda você pode estar pensando, faço tudo isso, mas no final do dia ainda continuo insatisfeito e parecendo que não fiz nada! Pior ainda, às vezes o tempo passa e nem vemos e quando percebemos, já estamos no meio do ano e nem vimos passar.

Objetivos SEMPRE!

Isso acontece quando não temos objetivos realmente claros. Definir objetivos e tarefas ajuda a gerenciar melhor o tempo.

Faça isso priorizando metas mensais, dividindo seu mês da seguinte forma: 

1 meta grande mensal, uma meta média semanal e uma meta diária pequena. 

Definir metas diárias são os pequenos passos em direção a meta semanal e adicionada às outras metas, leva a grande meta mensal. 

Fazendo isso, você estará em essência, quebrando obstáculos que parecem impossíveis de fazer.

Lembre-se, que fazer tudo igual e querer resultados diferentes, decididamente, não vai te levar a nenhum lugar diferente. Então, pegue uma folha grande e rabisque um modelo e divida por semanas, coloque a meta semanal e uma tarefa diária que o ajudará alcançar a meta semanal, que ajuda você alcançar algo mensal. Simples assim!

Presença

Estar conectado com os exercícios anteriores exige estar presente. 

Na maioria das vezes, fazemos uma atividade, mas estamos pensando o que vamos fazer daqui a pouco, ou amanhã, ou no próximo mês, ano ou até estar pensando no que já passou. 

Você pode melhorar muito mais o seu tempo e consequentemente fazer muito mais tarefas, quando está conectado ao contexto, ou seja, quando realmente está presente de corpo e mente. 

Esteja presente de corpo e mente em tudo o que for fazer. Parece ser fácil, mas na maioria das vezes não é.

Treine sua presença observando em cada tarefa diária a sua atenção somente naquilo que está fazendo. Um excelente exercício é no banho ou ao escovar os dentes. No banho exercite não pensar em mais nada que seja a sensação do banho, a água escorrendo no seu corpo, os aromas, as texturas dos produtos e principalmente, estar somente com você; ao escovar os dentes, experimente conhece-los através do toque das cerdas em cada um deles, qual é o movimento que a escova faz em sua boca.

Tenha em mente que você pode fazer mais coisas ao mesmo tempo desde que estejam conectadas ao contexto, como por exemplo ouvir um podcast sobre negócios, enquanto dirige ou caminha até o trabalho, ou então ouvir uma música relaxante enquanto faz sua caminhada diária. 

Atividades em conjunto e ao mesmo tempo precisam estar conectadas ao contexto, quando não estão, perdemos a presença e consequentemente, perdemos mais tempo para voltar ao foco de nossos objetivos.

Rotinas de tempo e local

O tempo tem memória quando você faz algo no mesmo lugar, todos os dias, na mesma hora e o espaço constrói uma energia, como por exemplo um espaço que você meditou por uma quantidade considerável de tempo, aquele espaço assume uma energia meditativa. 

Da mesma forma quando você faz algo em algum lugar e na mesma hora todos os dias. O tempo tem uma memória, seu corpo também tem e, portanto, torna-se mais fácil. Mesmo se você mora ou trabalha em um espaço pequeno, divida cada canto. Assim você mantém a energia desse espaço “sagrado” e “apropriado” para o que você deseja fazer. 

Com a tendência do home office, às vezes o desafio é trabalhar onde comemos ou dormimos, então confundimos a energia de nosso ambiente, porque as vezes estamos sentados na cama. Então remova essa energia da cama e coloque-a onde ela precisa – as vezes você está levando energia agitada onde precisa descansar – o mesmo acontece onde comemos e se não tem condições de ter outro espaço de trabalho, pelo menos mude o cenário; quando estiver trabalhando na mesa onde faz as refeições, deixe-a com aspecto de mesa de trabalho e quando estiver fazendo refeições idem. 

Descanse

É essencial ter um sono de boa qualidade. É comprovado cientificamente, que ter um sono de 8 horas por dia, deixa as pessoas mais felizes e, acrescentando, dormir antes da meia noite, o sono é extremamente poderoso para sermos mais produtivos com nosso tempo quando estamos acordados. 

Se conseguir dormir às 21h00, estará recebendo essas 3 horas de poder energizante antes da meia noite, que é extremamente fundamental, com isso, você também poderá programar-se para acordar mais cedo e aproveitar mais o seu tempo.

Dormir de 7 a 9 horas por noite é fundamental para ser produtivo com o seu tempo quando está acordado e ser mais feliz.

Para começar a praticar esses 7 passos que acabamos de orientar, você pode começar pelo mais fácil e coloque um prazo para estar aplicando os 7 em sua rotina. 

Você também pode adaptar ao que já faz ou de acordo com suas necessidades, o que você não pode deixar de fazer é aplicar e testar a sua melhor forma. 

Esperamos que consiga aplicar todos e depois nos diga como seu tempo aumentou.

Se preferir um atendimento personalizado em forma de mentoria individual e customizada, de acordo com sua rotina profissional e perfil comportamental, preencha a aplicação neste link e entraremos em contato. 

Fontes:

Jay Shetty 

David Rock

Gary Keller e Jay Papasan

Qual a relação do autodesenvolvimento com resultados organizacionais

Você sabia que o autodesenvolvimento está diretamente relacionado com o seu desempenho profissional?

Isso mesmo! A partir do momento em que você se conhece melhor, passa a identificar e entender o que precisa fazer para conseguir ultrapassar barreiras e superar seus limites para se desenvolver profissionalmente.

Sua sabedoria pessoal te ajuda a evoluir em sua carreira e em qualquer outro aspecto da sua vida. Esse processo contínuo de autodesenvolvimento lhe permite ainda, se adaptar com facilidade à diversas mudanças que são comuns ao longo da vida.

Ficou interessado e deseja saber mais sobre o assunto? Então continue sua leitura e entenda de que forma o autodesenvolvimento pode contribuir positivamente para seus resultados organizacionais. Confira!

Autodesenvolvimento e resultados organizacionais – Entenda a importância dessa relação

Um profissional que deseja garantir bons resultados em sua carreira, precisa desenvolver habilidades para solucionar os desafios comuns no seu ambiente de trabalho. Para isso, é crucial que ele tenha a capacidade de se autodesenvolver.

Isso porque, aqueles que detêm essa capacidade, conseguem naturalmente sair da sua zona de conforto e buscar por fatos novos que lhe ajudam a crescer e atingir um desempenho cada vez melhor em sua carreira.

Além disso, pessoas com capacidade de autodesenvolvimento também possuem a habilidade de avaliar de forma precisa as exigências de sua profissão, assim como as do mercado de trabalho. 

E é justamente devido a características específicas como esta, que suas chances de alcançar bons resultados organizacionais e ser bem-sucedido na carreira são maiores. Quem se autodesenvolve, também desfruta de outros ganhos em sua vida, como aumento de motivação, maior satisfação consigo mesmo, autocontrole sobre as emoções, mais empatia entre outras coisas.

Como conquistar o autodesenvolvimento

Basicamente, existem algumas formas que você pode adotar para conquistar o autodesenvolvimento e alcançar um melhor desempenho no seu ambiente de trabalho. E a primeira delas é:

·      Não se acomode 

Se você deseja se autodesenvolver para garantir resultados melhores no trabalho ou mesmo em sua vida pessoal, uma das primeiras recomendações é procurar desafios.

Afinal de contas, não tem como a mudança que você deseja acontecer, se continuar fazendo as mesmas coisas e permanecer em sua zona de conforto. Para obter resultados diferentes, você precisa adotar atitudes diferentes.

Sendo assim, procure quebrar padrões e vá em busca de novos desafios para sua carreira ou estilo de vida. Dessa forma, você estará contribuindo para o seu progresso, não só enquanto pessoa, mas também em sua carreira profissional.

·      Faça uma análise sincera sobre si mesmo

O mundo está em constante mudança. E com o ser humano acontece a mesma coisa. Por isso, se você quer atingir o autodesenvolvimento, precisa sair do ponto A e ir para o ponto B.

Mas, antes disso, procure fazer uma análise sincera sobre como está sua vida e o que você almeja para o seu futuro. Além disso, essa autoanálise vai permitir que você veja com mais clareza quais são as suas qualidades. E o que você precisa melhorar para a mudança acontecer na sua vida e carreira.

·      Coloque seus planos em prática

Não fique apenas no mundo das ideias e do planejamento. Procure colocar em prática todas as metas que você traçou e tire seus objetivos do papel.

Você precisa fazer com que eles aconteçam e sejam uma realidade em sua vida. Inclusive, é nesse ponto que muitos preferem procrastinar e acabam falhando no seu autodesenvolvimento.

Não faça parte desse grupo. Se por ventura sentir dificuldade em direcionar seus planos para um autodesenvolvimento ou até mesmo de definir os passos que precisa dar para que isso aconteça conforme deseja, busque ajuda especializada, como o coaching, por exemplo.

Entenda que, independentemente de suas decisões, o tempo continua a correr. Então, busque as mudanças necessárias para garantir a evolução da sua carreira e vida pessoal!

Saiba como ter um bom relacionamento com a equipe com essas 4 dicas

O sucesso da empresa depende de diversos fatores e um deles diz respeito ao relacionamento entre os gestores e a equipe. Quando essa relação é saudável, a confiança e boa comunicação entre as pessoas tornam-se algo natural, o que influencia diretamente nos resultados.

Dessa forma, podemos dizer que o relacionamento interpessoal é uma parte fundamental da construção de um ambiente de trabalho saudável e da melhoria constante da organização. Por isso esse ponto carece de devida atenção.

No artigo de hoje, selecionamos 8 dicas valiosas para que você conquiste um bom relacionamento com a equipe e otimize o clima e a produtividade no ambiente de trabalho. Vamos lá?

1. Comece o bom relacionamento com a equipe na contratação

A construção de um bom relacionamento com os membros da equipe deve ser feita desde o princípio. Durante a fase de entrevistas, procure unir forças com o RH para encontrar uma pessoa que reúna os ideais e perfil comportamental alinhados à cultura organizacional da empresa e aos demais colaboradores.

Já na fase de integração, o recém-chegado deve ser apresentado à empresa, sua estrutura, seus processos e membros da equipe, de modo a conhecer o ambiente antes de começar a exercer sua função.

Além disso, coloque-se à disposição para tirar dúvidas e conversar sempre que necessário, sem fazer da hierarquia uma barreira, incentivando a comunicação interna desde os primeiros dias. Isso torna a integração um processo mais natural e a total adaptação uma consequência.

2. Conheça os colaboradores

Em relação aos colaboradores que já compõem sua equipe há algum tempo, trate de conhecer mais do que somente seus nomes e cargos. Observe-os, interaja com eles e analise o perfil comportamental de cada um.

Assim, você terá um relacionamento mais humanizado com todos, além de uma noção mais exata de como gerir a equipe de acordo com o perfil de cada um.

3. Esteja disponível para melhorar o relacionamento interpessoal

Ter um bom relacionamento com a equipe exige esforço. Você precisa se colocar à disposição para ouvir os colaboradores sempre que eles precisarem conversar, por mais cheia que a sua agenda seja.

Ouça as queixas, sugestões e dúvidas de todos com calma e paciência. De uma conversa franca você pode coletar mais informações valiosas do que qualquer avaliação corporativa poderia revelar, além de construir confiança e lealdade em sua equipe.

4. Crie engajamento para ter um bom relacionamento profissional

Engajar, segundo o Dicionário Priberan, é envolver-se a serviço de uma causa. Ou seja, fazer o que deve ser feito porque acredita nisso. Assim, engajar os colaboradores no sucesso da empresa é o mesmo que dar propósito para a função que eles exercem. Com isso temos pessoas que entendeu seu impacto dentro da organização.

Quando equipes inteiras têm essa mesma noção em mente, o relacionamento profissional sofre uma drástica mudança. No lugar de colabores focados em tarefas definidas, temos grupos de pessoas atuando em busca de um objetivo comum: o sucesso da empresa.

Para engajar a equipe, você pode seguir alguns passos:

  1. Explique o impacto de cada função dentro do produto da empresa;
  2. Crie metas;
  3. Incentive a equipe;
  4. Faça surgir um clima de competição amistoso dentro da empresa;
  5. Dê orientações e colha feedbacks.

Dicas extras

Reconheça o esforço e conquistas da equipe

Poucas coisas são mais desestimulantes do que esforçar-se para fazer algo, conseguir fazer e não ser reconhecido. Pior que o não reconhecimento é quando a conquista é tratada como uma mera obrigação, sendo parte do trabalho e por isso não merece a devida gratulação.

Assim, a fim de manter o bom relacionamento com a equipe e evitar a desmotivação, reconheça as conquistas e o esforço de cada colaborador. Chame a atenção de todos e parabenize aquela pessoa que se esforçou para ser um destaque.

Mas cuidado: na hora de felicitar um funcionário tenha a certeza de que em sua fala os méritos estão diretamente ligados ao esforço dessa pessoa. Reconhecer apenas as conquistas pode gerar sentimento de menos-valia nos demais colaboradores.

Admita suas dificuldades e dê espaço para os colaboradores proporem mudanças

Os gestores, por estarem em um cargo que exige conhecimento estratégico e constante tomada de decisão, tendem a não se permitir errar ou admitir dificuldades. Entretanto, isso é um dificultador no trato com os colaboradores.

O melhor caminho para nutrir boas relações na companhia é exatamente o oposto: em vez de esconder as dificuldades e fraquezas, mostre aos colaboradores que você também é humano e nem sempre tem a solução dos problemas. Assim fica mais fácil pedir sugestões e opiniões para fazer mudanças futuras e melhorar ainda mais os processos do setor.

Apenas tenha o cuidado de não se posicionar como alguém fraco, ou sem confiança no trabalho que faz. É importante manter a posição de liderança mesmo durante a execução de ações como essa.

Dê espaço para feedbacks e sugestões

A base para um bom relacionamento interpessoal está na comunicação. Logo, não adianta apenas estar disponível, mas também é necessário fornecer espaço para que a informação flua de você e para você. Conseguinte a isso, permitir que os colaboradores deem sugestões e feedbacks é um detalhe importante para melhorar o relacionamento com a equipe.

Essa medida pode ser feita por intermédio de questionários online, caixas de sugestões ou conversas particulares e em conjunto. Basta entender qual é o melhor caminho para tomar com sua equipe e segui-lo.

Vale ressaltar que alguns colaboradores não vão conseguir falar o que pensam em público, ou assumindo as próprias ideias. Entretanto, como todo feedback é importante para a evolução da empresa — seja ele agradável ou não de ser lido —, é interessante ter métodos que assegurem o anonimato de quem os utilizar.

Sirva de exemplo

Se você quer que sua equipe se relacione bem entre si e com a chefia, então comece a implantar essa mudança pelo bom exemplo. Esteja presente mais do que como a figura de chefe, mas como um guia, alguém para inspirar o desenvolvimento profissional e pessoal de todos.

Exercer uma liderança humanizada é algo que ecoa no ambiente de trabalho e inspira todos a agirem da mesma forma, pelo exemplo. Tenha em mente que de nada adianta dar palestras e sermões sobre como se relacionar no ambiente de trabalho e agir de modo indiferente ou desinteressado.

Acordando às informações que vimos neste texto, o relacionamento entre gestores e colaboradores é um desafio. Vários pontos precisam de atenção e devem ser bem trabalhados para que seja possível colher bons frutos no futuro, como a melhora do relacionamento interpessoal. Então, mãos à obra?

Gostou das nossas dicas? Então vamos te dar mais uma: leia nosso artigo sobre os primeiros passos para desenvolver a autoliderança e comece a aplicá-los hoje mesmo!

Gestão de pessoas: 5 coisas que todo grande líder tem em comum

Qual o perfil de um líder? Como realizar gestão de pessoas? Liderança é vocação ou aprendizado? Quando se trata de um grande líder não existe uma fórmula secreta ou mesmo uma receita mágica que construa o perfil de liderança, mas uma coisa é certa: é preciso agir de forma correta e motivar a equipe continuamente para alcançar melhores resultados, o que requer conhecimento por meio de treinamento, e não apenas de vocação.

Por muito tempo empresas tiveram na linha de frente — algumas ainda têm — a figura de um chefe rígido e autoritário, em que “manda quem pode, obedece quem tem juízo”. Mas os tempos são outros e organizações têm procurado um perfil diferenciado de pessoas para conduzir a equipe de trabalho. Esses são os líderes!

É claro que alguns já têm uma postura nata de liderança e sabem exatamente como conduzir uma equipe. Outros, porém, podem aprender a liderar e a desenvolver práticas ao longo do tempo, passando a ter forte influência sobre os seus liderados, que veem na figura do líder o reflexo de valores motivacionais para a busca de melhores resultados.

Mas quais as características que definem um líder? Vejamos 5 posturas comuns que levam a umagestão de pessoas eficiente. Confira!

1 – Delegam tarefas

A ideia de centralizar as decisões numa só pessoa já não comporta as novas estruturas organizacionais. Líderes confiam na sua equipe e sabem que é preciso delegar as decisões.

Nem sempre é possível cumprir pessoalmente a agenda da organização ou mesmo participar das reuniões, mas confiar naqueles que estão ao seu redor e nortear as suas escolhas é o grande papel de um líder. Eles dividem suas visões e, por isso, compartilham seus objetivos com todos os envolvidos.

2 – Têm autoconhecimento

Antes de entender as necessidades das outras pessoas, um líder precisa conhecer bem a si mesmo. Buscar treinamento e aperfeiçoamento das competências e habilidades de liderança não é apenas um grande benefício profissional, mas contribui para o próprio desenvolvimento pessoal.

Segundo uma pesquisa feita em março de 2013 com 4.392 executivos brasileiros pela empresa de treinamento corporativo LAB SSJ, as lideranças chegam despreparadas frente às decisões da empresa. A pesquisa destacou que apenas 14,5% dos profissionais que são promovidos a cargos de liderança recebem uma orientação formal antes de assumir as posições. E o resultado não poderia ser pior: 60% dos novos gestores falham nos dois primeiros anos diante do cargo.

É muito importante que o líder esteja sempre buscando inovações, pesquisando, reciclando e estudando, o que gera mais credibilidade das suas ações diante do seu time.

3 – Assumem seus erros

Ser líder não significa perfeição, muito pelo contrário, um líder assume suas falhas e aprende constantemente com estes erros, garantindo que não aconteçam mais e que não comprometam osresultados da empresa.

Além disso, um bom líder dá a cara para bater em nome da sua equipe de trabalho, diagnosticando o erro e posicionando todos no rumo correto, sem que ninguém seja apontado como culpado ou desproporcionalmente prejudicado.

4 – Trabalham juntos e potencializam o empenho individual

Líderes agradecem. Líderes elogiam. Líderes questionam. Líderes celebram as vitórias. O mundo já não é mais centrado na hierarquia e demanda profissionais que compartilhem mais e mandem menos.

O líder tem que estar acessível e aberto a ouvir o que os outros têm a dizer. Só assim o time se sentirá mais próximo e terá mais confiança nas suas ações. Além disso, um grande líder reconhece talentos individuais de cada um da sua equipe, potencializando as habilidades e competências e gerando oportunidade para que cresçam dentro da empresa.

5 – Partilham informações

Os liderados precisam saber para onde estão indo e qual a melhor maneira de alcançar melhores resultados. Uma equipe conduzida às cegas não será tão produtiva quanto as que participam das decisões da empresa e sabem o que acontece dentro dela. Quanto mais o líder partilhar as informações e delegar tarefas, maior será o empenho e comprometimento da sua equipe.

E você, como vê o papel da liderança dentro de uma empresa? Compartilhe conosco sua opinião deixando um comentário nos campos abaixo!