O Trabalho do Coach com as Metas do cliente

O que vemos depende principalmente daquilo que procuramos. (Sir Jhon Lubbock)

Acredito muito em metas. Depois que passei a estipular metas para minha vida, evoluí muito em todos os aspectos.
Atualmente, como Coach, faço o que amo e posso dizer que tenho o trabalho como hobby. Essa era uma de minhas metas e eu a alcancei.

Alguns Coaches preferem trabalhar com o cliente em várias metas.
Para mim, parece-me pouco eficaz solicitar ao cliente, na primeira sessão, para que defina cinco metas de longo prazo. Do meu ponto de vista, prefiro que ele estipule uma meta de resultado desafiador, uma meta que ele realmente sonhe, ame; ou seja, uma grande meta. Desse modo, trabalhamos na jornada, em que o cliente irá envolver vários setores da sua vida, transformando em várias outras metas de longo, médio e curto prazo. Assim, acredito que ficará mais claro para o cliente elaborar o passo a passo em busca da grande meta.

Ao definir cada passo, chegamos aos valores de cada um, em que o principal valor da meta de resultado desafiador estará em todas as outras metas menores. O que o cliente valoriza em primeiro lugar, na sua vida, ele levará por toda a jornada.

Particularmente, gosto muito de trabalhar com a roda da vida, principalmente, tratando-se da primeira questão imediata, a meta. Na roda da vida, trabalhamos com todos os setores que envolvem a vida do cliente: trabalho, família, relacionamentos, saúde, finanças, carreira, autodesenvolvimento, ambiente e diversão. Acredito que o cliente sente-se seguro e, ao mesmo tempo, surpreso ao visualizar as áreas de sua vida que há tempos não lembrava que eram tão importantes e que impactavam diretamente no seu dia a dia sem sequer pensar nelas, ajudando também a clarear as tarefas que ele mesmo irá definir e se comprometer.

É necessário que o Coach tenha consciência das perguntas fazem, ser honesto e não induzir as respostas. Perguntas funcionam como lanterninhas, iluminando as dúvidas do cliente e buscando o caminho mais claro a ser seguido. A liberdade das atitudes de pensamento é do cliente, a função do Coach é ajuda-lo a ter a luz nas respostas.

  1. As perguntas evocam o que ainda não foi expressado.
  • Foco no que não está aparente (no que não foi dito)
  • Futuro (foco)
  • Pressuposição de uma ação
  • Alteração de estado (faz com que o cliente comece a se mover)
  • Honestidade

O cuidado que sempre tenho são nas perguntas que alteram os estados emocionais. O Coach jamais ressalta o lado negativo do cliente, isso pode impactar a perda de várias reuniões. É necessário caminhar com o cliente “avante” e positivamente, de modo que o estado emocional fique equilibrado, alcançando resultados de maneira positiva.

Por fim, depois de descobrir e clarear a verdadeira condição atual para estruturar como chegar ao estado desejado do cliente, além do cliente descobrir o que mais valoriza, ele consegue enxergar suas crenças, que são fundamentais, pois são elas que nos levam aonde acreditamos que precisamos ir.

Você não precisa ter um Coach para descobrir no que acredita e quando descobrir. Reflita: essas crenças estão me limitando de alguma maneira? Então mude-as e verá que você pode acreditar no que é possível. Assim, é possível transformar sua jornada em busca do que você realmente quer.

Boa sorte!!

Coaching como ferramenta de desenvolvimento profissional

Não existe fracasso, apenas feedback. Este é um grande conceito. Richard Bandler(1), acompanhando atletas de alto desempenho, percebeu que a diferença entre os campeões e os outros era que os primeiros ao treinarem mantinham sua atenção nos acertos.

Um jogador de futebol ao treinar cobranças de faltas, a cada 10 tentativas conseguia fazer um gol. Era nesse gol marcado que ficava toda a sua atenção e daqui a pouco ele já estava marcando dois gols a cada 10 cobranças até chegar a índices de acerto muito elevados. Já os outros lamentavam-se pelos gols perdidos.

Quando recebemos nossos resultados (feedback) apenas como resultados e, principalmente, fonte de aprendizado e mudança tiramos um enorme peso dos nossos ombros e ficamos livres e leves para obter aquilo que queremos. O aprender está no fazer; não existem pessoas sem recursos, apenas estados mentais sem recursos; ter uma escolha é melhor do que não ter nenhuma. Esses são apenas alguns dos diversos pressupostos do coaching.

E ter uma escolha não significa saber que ela existe, mas exercê-la. Assim, eu sei que tenho a possibilidade de fazer exercícios físicos, mas isto só será uma escolha, ou uma opção, para mim, se eu programo um horário do meu dia e, por exemplo, vou correr. Se, por outro lado, os dias passam, as semanas e meses também sem que eu tenha feito nada, mesmo sabendo que existe a opção do bom condicionamento físico, ela não é uma escolha para mim.

Apesar de existirem várias definições para coaching, talvez nenhuma consiga abranger tudo que o esta técnica pode representar. Basicamente, é um processo estruturado no qual um profissional especializado reúne-se com o cliente, com a finalidade de alcançar determinados objetivos. O coaching ajuda a pessoa a operar no pico da sua capacidade, direcionando-a para o caminho desejado. Diferentemente do conceito de ensinar, a técnica é voltada a ajudar o cliente a aprender.

João Luiz Cortez

www.iluminattabusiness.com.br

 

iluminattabusiness

 

 

O Papa é Pop.

O Papa é Pop.

“Qualquer coisa
Quase nova
Qualquer coisa
Que se mova
É um alvo e ninguém tá salvo.

O Papa é Pop, o Papa é Pop! O Pop não poupa ninguém. O Papa levou um tiro à queima roupa… O Pop não poupa ninguém.”

Engenheiros do Hawaii.

Você já parou para pensar o que significou para o líder mundial da Igreja Católica, Joseph Ratzinger, nomeado como Papa Bento XVI, renunciar ao papado, ou seja, à liderança?

O motivo que levou um grande líder mundial, talvez o maior, a renunciar, está estampado nos jornais, revistas, internet etc.. O que lemos são explicações técnicas subjetivas, mas vamos pensar profundamente, deixando nossas crenças de lado, o que isso realmente significa. O que significa, para um grande líder, abrir mão de tudo e dizer: não tenho mais condições para o cargo? O que, de fato,  este grande líder deve estar sentindo ao sair de um posto de altíssima liderança, decepcionar milhões de seguidores, sem poupar ninguém, levando um tiro à queima roupa e desistir?

Podemos pensar, como ele mesmo disse, que o corpo falou mais alto?

Quantos líderes pensam em renunciar ao cargo e não ouvem seu corpo?

Carl Gustav Jung estudava na integração do corpo e da mente e escreveu: assim como o nosso corpo é um verdadeiro museu de órgãos, cada um com a sua longa evolução histórica, devemos esperar encontrar também na mente uma organização analógica. Nossa mente não poderia jamais ser um produto sem história, em situação oposta ao corpo que existe.
Jung estudava a integração da mente e corpo e acreditava que um não pode sobreviver sem o outro.

Somos e deixamos ser avaliados pela nossa mente; às vezes, trabalhamos doentes, fazendo o que não queremos ou quase não conseguimos, por somente ouvir nossa mente. Em seu livro, “O despertar de uma nova consciência”, Eckhart Tolle deixa claro : as pessoas estão sendo identificadas pela sua mente, o que corresponde à identificação do distúrbio egóico e acabamos esquecendo do nosso corpo e o que realmente ele necessita.

Estamos, cada vez mais, desacelerando nosso corpo e acelerando nossa mente. É necessário começar a fazer algo, ainda que pareça simples, que consiga ajudar nosso corpo a agir, como, por exemplo, intercalar o conforto do carro por alguma caminhada, a comodidade do controle remoto por alguns passos até a televisão.

Podemos evitar essa desaceleração e voltar a fazer com que nosso corpo atue em conjunto com nossa mente, diminuindo o processo de individualização, deixando o ego ser conduzido por nossas reais necessidades e limitações.
A integração entre o corpo e a mente é cada vez mais necessária. A simples decisão de sair da tela do computador para sentir o corpo e buscar novos horizontes é fundamental.

De fato, o Papa é Pop e muito íntegro por dar seu peito a um tiro à queima roupa e assumir as dificuldades integradas do corpo e da mente. Para um grande líder, não existe ego; o que existe é o exemplo de tudo o que ele fez e faz por seus liderados.

Meu corpo não é meu corpo, é ilusão de outro ser. Sabe a arte de esconder-se. E é de tal sagaz que a mim de mim ele oculta meu corpo, não meu agente. Meu envelope selado, meu revólver de assustar. Tornou-se meu carcereiro, me sabe mais que me sei.
Carlos Drumond de Andrade

Um abismo a frente..ou o caminho da felicidade?

Há um momento ou momentos na vida no qual você começa se questionar.
Esse é meu caminho? Essa é minha missão? Sou feliz fazendo o que e como faço?
Quando os primeiros questionamentos passam pela cabeça a tendência natural é rejeitar deixar para lá.
O conforto..ou comodismo, fala alto, claro e a bom som..Estou tão bem.

Será?

É desafiador..

Aprofundar vale a pena.
Lance-se ao desconhecido sem medo.
Como mágica, encontrará algo puro verdadeiro, algo que sai d’ alma e está o tempo todo com você..

Adormecido.
Quando acessar a essência e alcançar sua missão coisas maravilhosas acontecem.
O Universo conspira a seu favor.
As habilidades que possui..fluem. As habilidades as quais ainda não possui cruzam seus caminhos.

Chegam através de pessoas, livros, artigos em revistas, jornais, internet..fique atento..informações que vem não se sabe de onde mas você sabe a que veem.
Trilhar novo caminho ao encontro da missão..cumprir metas..dar pernas aos sonhos, torná-los concretos..

Tornar-se mais Feliz!
E então como lhe parece pensar assim?

A sua frente está um abismo ou mar de possibilidades?
Tem um submarino a sua frente..a sua espera e o conduzirá a desbravar o oceano de felicidade.
Lance-se!

 

Coach certificado pelo ICC – International Coaching Community
Sociólogo pela PUC-SP
Palestrante

José Roberto da Silva
Joseroberto1009@hotmail.com
+55 11 99153 7774 / +55 11 5072 8107

TEMPUS FUGIT

Tempus fugit – o tempo voa.

 

A areia do tempo parece cair cada vez mais rápido, à medida que você envelhece. A vida parece um carro que começa, lentamente, descendo uma rampa, mas, à medida que o tempo passa, ganha velocidade e vai mais rápido. De repente, passou um natal e já vem o outro.

Cada um de nós tem uma certa quantidade de tempo no dia. Não importa se você é rico ou pobre, velho ou jovem, sábio ou ignorante, todos temos a mesma quantidade de tempo em cada dia de nossas vidas.

Como você usa o seu tempo?

O tempo é precioso, onde você o investe?

 

A duração média de vida é de 672.474 horas. Você estará dormindo cerca da metade delas, sobram 448.316 horas. Agora, tire o tempo que você gasta comendo, viajando e fantasiando.

O que você deixa de fazer agora, nunca terá chance de fazer de novo.

 

Como você está vivendo sua vida?

Medindo em horas, no que você está investindo?

Se você diz que algo é importante para si mesmo, está dan
do a isso o tempo que merece?

Se você soubesse que só tem mais um ano de vida, o que continuaria fazendo, o que deixaria de fazer, o que começaria?

 

Muitas coisas são gratuitas e podem ser aproveitadas – se houver tempo.

Ninguém conquista seus sonhos ou uma vida feliz e realizada sem devotar tempo a isso.

Muitas pessoas adiam desfrutar sua vida até que seja muito tarde.

 

 

Adaptado por : “Andrea Lages”

andrea@lambent.com – www.lambent.com

Aonde você quer chegar em 2013?

Em minhas palestras com o tema “Aonde você quer chegar?”, inicio com a pergunta do tema para a plateia: “Quem sabe aonde quer chegar daqui um ano?”.

A minoria levanta a mão e a maioria faz um movimento com a cabeça de que não sabe.

E eu fico aqui me perguntando, por que a maioria das pessoas não estipula metas para suas vidas? Por que não colocam o sonho no papel? Por que não aceitam aquilo que realmente querem? Por quê?

O fim do ano é uma época ideal para refletir, traçar metas e para mudar padrões de comportamentos que nos fazem mal. É um ótimo momento para tomar decisões e elaborar novos paradigmas, abandonando definitivamente o lado de vítima e assumindo nossas vontades e desejos.

Lendo uma matéria sobre Gina Broke, a maquiadora de Madonna e de outras celebridades, ela conta que, ao entregar seu portfólio, gostaria de trabalhar com celebridades icônicas, mas nunca imaginou que seu desejo pudesse se tornar realidade — e em poucos dias, estava em um avião rumo a Londres para maquiar a cantora.

Desejar é o primeiro passo. Deseje, marque datas, prepare-se!! Sempre esteja preparado.

Que tal começar, aqui e agora, escrever o que realmente deseja, montar um plano de ação e ir à luta, ao trabalho, sem medo e, principalmente, sem vergonha de errar? Tente, ouse e faça a diferença.

Não existe problema nenhum em começar com um grande sonho — o sonho é o ponto de partida. Em seguida, desenvolva metas e divida os passos a serem tomados em prazo curto, médio e longo. Levante todas as questões que precisa para chegar até sua meta, responda a todas, monte um plano de ação e, claro, tenha o plano B e, se for preciso, o plano C, D e assim por diante.

Para ajudar nas respostas, coloque-se mentalmente na meta, envolva-se, sinta como será alcançá-la, sinta todo prazer em conquistá-la, assim as respostas ficarão mais claras e as ações, mais fortes.

Divulgue para as pessoas sobre suas metas, peça ajuda, opiniões, feedbacks. Leia, leia muito, pesquise e estude sobre os assuntos que lhe ajudarão a chegar até elas.

Não fuja dos desafios e do estresse, enfrente-os!! Eles lhe deixarão mais forte.

Aproveite a jornada até chegar lá, a jornada é a melhor.

Comemore todos os passos alcançados e não precisa ser nenhuma comemoração cara; na ASAS, temos vários sininhos espalhados pelo escritório e, a cada vitória, saímos tocando e comemorando, o ambiente fica feliz, agradável e estimulante. Não deixe de comemorar, comemore dando-lhe um pequeno presente, fazendo uma corrida na rua, na chuva; cantando no chuveiro; dançando sozinho no seu quarto; almoçando com a equipe, com os amigos de trabalho, com a família; existem mil maneiras de comemorar, apenas não deixe de comemorar a cada etapa vencida.

Um sonho bem traçado e planejado pode, sim, ser realizado!! Vá em frente, apenas não deixe de sonhar e de ter metas na sua vida.

Vamos começar? Aonde você quer chegar em 2013? Separe 10 minutos por dia só para você até o dia 31; nesses 10 minutos por dia, só seus, você vai trabalhar em suas metas para 2013 e entrará dia 01/01/2013 com seus sonhos traçados e planejados. Boa sorte!!

Feliz Natal e um PRÓSPERO ANO NOVO!!

O que você mais gosta em você?

Pare, pense por um minuto e responda: o que você mais gosta em você? Agora, pare por mais um minuto e responda: o que você menos gosta em você?

Depois que uma amiga me fez esta pergunta, no último mês, fiz uma pesquisa a respeito com aproximadamente 30 pessoas e a primeira resposta da maioria foi: “que pergunta difícil!”.

Acredito que realmente seja difícil, eu também demorei para responder.

Uma das pessoas que perguntei me respondeu que o que mais gosta nela é a inteligência e o que menos gosta, o excesso de peso. Perguntei a ela qual era o motivo que a impedia de usar sua inteligência para ter mais qualidade de vida e perder alguns quilos que a incomodavam.

Podemos elevar o que mais gostamos em nós para ajudar no que menos gostamos, ou seja, ter atitudes naquilo que não gostamos usando o que temos de mais forte.

Por meio de alguns exercícios em PNL (programação neurolinguística), podemos modelar o que gostamos em nós ou que fazemos muito bem para as coisas que não fazemos tão bem ou não gostamos.

De acordo com o dicionário, um modelo é algo que serve de exemplo. Pode também ser a representação em pequena escala de algo que se pretende executar. Aquilo que serve de exemplo ou norma.

Na modelagem da PNL, percebe-se a diferença que faz a diferença. Frequentemente, a modelagem é feita pela observação do modelo em ação. Informações valiosas podem também ser obtidas por materiais escritos.

Além disso, podemos modelar pessoas que admiramos.

Desenvolva-se exercitando os pontos nos quais você julga necessária a evolução e então começará a perceber o que não tinha percebido até agora e poderá notar a diferença que faz a diferença.

Algumas questões que podem ajudar no exercício com a modelagem.

1-      Pense em uma situação em que obteve bom desempenho.

2-      Quais foram as evidências?

3-      Quais foram as capacidades e recursos utilizados?

4-      Qual foi o plano de ação quando não obteve o resultado esperado?

 

Utilizando esses passos, você conseguirá ter a mente mais clara e trazer as evidências para modelar o que precisa.

 

A força do hábito!



Essa imagem fez com que me lembrasse dos tempos em que trabalhava com equoterapia em um haras não muito longe de Curitiba.

Lá eu olhava os cavalos nos piquetes e pensava: “Como eles não fogem?”, “Como essa cerquinha de nada os mantém aí dentro?”, “… eles não sabem a força que têm!”


Às vezes, um ou outro cavalo mais ousado até fugia… mas para isso, a tal cerquinha deveria estar aberta, ou  no mínimo mal fechada. Dificilmente cavalos domados (treinados, condicionados) saem sem permissão do local onde são deixados para comer ou dormir.

E então me veio à mente uma questão muito trabalhada durante o coaching, como algumas de nossas crenças podem ser limitantes!

Nossas crenças são construídas a partir de nossas vivências. Se as vivências confirmam ao cavalo que ao estar amarrado ele não irá a lugar nenhum (independente da força que faça), ele passa a acreditar que isso é aplicado a todas as situações de estar amarrado, e permite que uma cadeira azul de plástico o mantenha no mesmo lugar. As “correntes mentais” são, em sua maioria, muito fortes!
De fora do piquete ou longe da cadeira azul, você pode até dizer: “mas é uma cerquinha de nada”, “é só uma cadeira de plástico”, mas sua vivência não lhe mostrou o quanto isso pode ser difícil ou pesado, como está sendo para quem está vivendo a situação naquele momento!

Sabe o que é muito bom de tudo isso? É que podemos escolher nossas crenças!
Se elas nos satisfazem, trazem bons resultados, podemos mantê-las. Mas caso contrário, podemos deixá-las.

Porém, nem sempre é fácil identificar as crenças que não nos satisfazem. Supondo que o nosso modelo acima nem queira correr solto pelo mundo, mas apenas estar em uma sombra naquele momento. Ele não consegue perceber que sua crença o mantém onde ele não quer estar. É nesse momento que o coaching ajuda, e muito! Sem qualquer julgamento, cabe ao coach ajudar o cliente a ver uma série de outras possibilidades que possam ser mais satisfatórias.

Quantas vezes, por mera “força do hábito” deixamos de realizar coisas grandiosas em nossas vidas?

Não é necessário esperar que alguma obra do acaso deixe a cerca entreaberta ou escancarada para nós.
Chega um momento em nossa vida que podemos olhar para nós mesmos e dizer: “Eu sei a força que tenho!”

 

Bruna Sabbag

Graduação em Psicologia pela PUCPR; Pós-graduação em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV); Perita em Avaliação Psicológica pela UFSC.

Certificação internacional em Coaching pela Lambent & International Coaching Community (ICC) e em Recursos Humanos – Treinamento & Desenvolvimento pela University of California – Irvine.

Coach assistente do Curso de Formação para Certificação em Coaching Lambent/ICC.

Lidere com o coração

Durante a noite, acordei pensando em “coração” e precisei levantar para escrever.

Pensando em coração, mas não no órgão, e sim no sentimento. Aquele sentimento que muitos expressam da seguinte maneira: meu coração está me dizendo para fazer isso ou aquilo. Prefiro pensar no coração assim, no sentimento: meu coração está dizendo para fazer ou não fazer isso.

Ah, o coração… Que ótimos sentimentos que ele nos proporciona! Ele nos leva aos estados emocionais mais prazerosos que temos.

Imaginem quando vamos para o trabalho na segunda-feira e levantamos da cama movidos pelo coração? Vamos felizes, satisfeitos e com a atitude de transformar as pessoas e os processos em amor. Simples assim!

Você ama o que faz? Não? Não tem problema, faça mesmo assim, com amor, e você verá que muito em breve passará a fazer o que realmente ama. Às vezes, fazemos algo que não nos satisfaz, mas, pela necessidade, temos que fazer. Experimente fazer com amor, com o coração, e você terá o seu objetivo alcançado.

Abra a porta do seu coração, ame tudo o que você faz, ame todas as pessoas com quem se relaciona, ame cada momento, afinal, você precisa viver um dia após o outro e é melhor viver com o coração, não é?

Lidere-se com o coração e você vai sentir que é bem mais prazeroso e lucrativo!

Abra a porta do seu coração e seja bem-vindo ao sentimento mais profundo da liderança.

 

Boa noite, vou voltar a dormir.

Beijo no coração.

Vamos LIDERAR GERAL?

O que é um Líder? O que é liderar? O que você entende por Liderança?

Quando assisti a uma das primeiras palestras sobre liderança, causei certo debate com o palestrante, argumentei, ou melhor, teimei com ele, que, na minha opinião, o Líder tem que ser nato. Na época, eu conhecia pessoas que trabalhavam comigo e acreditava que elas jamais seriam Líderes por não terem nascido com espírito de liderança… Ledo engano!

Tive a sorte de o palestrante ser ótimo profissional e me explicar a essência da liderança.

Podemos ser Líderes em nossa comunidade, na nossa casa, em nosso trabalho, em um grupo de amigos, no time de futebol do nosso bairro. Por quê? Porque escolhemos, queremos! Se eu quiser ser Líder, serei! Basta querer e ser, onde eu quiser!

Você quer ser Líder? Onde? Quando?

Seja o Líder da sua vida, seja o exemplo que você quer ver no mundo. Um pequeno passo, uma pequena atitude! Faça hoje!