Gestão de equipes: o que os bons gerentes têm em comum?

Os gestores possuem um papel muito importante nas empresas e que vai além do crescimento financeiro que proporcionam. Eles também são responsáveis por descobrir e desenvolver talentos, o que representa a renovação da empresa e o diferencial competitivo e interfere diretamente na imagem da organização.

Quer saber qual é a melhor maneira de desenvolver a sua equipe? Então confira o nosso post de hoje e se inspire com características que os bons gerentes têm em comum na gestão de equipes!

São bons comunicadores

A comunicação é a base para um bom relacionamento com a equipe. Quando os gestores se relacionam de maneira saudável com os seus colaboradores, a empresa passa a contar com uma equipe unida, que tem liberdade para sugerir melhorias e motivação para crescer.

É fundamental que o gestor comunique-se com clareza e esteja atento ao tom de voz e a postura durante a sua fala, pois esses detalhes têm forte influência na forma com que os colaboradores recebem a mensagem.

São produtivos e focados em resultados

O maior foco das empresas é conseguir que os colaboradores sejam produtivos e focados nas metas para atingir o resultado e o lucro esperado. Para conseguir motivar a sua equipe e reforçar a cultura orientada nos resultados, os gestores devem liderar pelo exemplo e estar sempre engajados em seus projetos.

Quando o gestor passa para a equipe uma mensagem contrária, os colaboradores não se sentem motivados a buscar os próprios resultados para que o gestor fique com o crédito por um trabalho que não foi executado por ele.

São referência técnica

Para conseguir exercer influência sobre a equipe e ser visto como um líder, o gestor precisa entender todos os processos que dizem respeito à sua área de atuação, deve saber agir para passar as orientações corretas e ter capacidade de transmitir o que sabe para os funcionários.

Esse conhecimento também permite que o gestor identifique de forma mais precisa quais são os pontos a serem melhorados nos procedimentos operacionais e facilita o desenvolvimento dos planos de ação.

Delegam funções

Os colaboradores se sentem mais motivados quando possuem autonomia para desenvolver o seu trabalho e entendem melhor qual é o seu papel no crescimento da organização. Além disso, a delegação de funções permite que o gestor tenha uma equipe completa e menos dependente da sua atuação.

Isso faz com que o líder de equipe consiga realizar melhor a sua gestão de tempo e, consequentemente, buscar os melhores resultados em seu setor.

Ajudam na carreira dos colaboradores

Funcionários motivados buscam sempre por crescimento na carreira e pelo aperfeiçoamento de suas próprias habilidades. Contudo, se o colaborador não sabe como planejar o seu crescimento e sente que o seu esforço não está trazendo resultados, é hora de o gestor agir com liderança, prevenindo a perda de um funcionário.

Para evitar que o colaborador se sinta desmotivado, é fundamental que as reuniões individuais sejam priorizadas na rotina do bom gerente. Deve fazer parte do planejamento de carreira o entendimento, por parte do líder, em relação às necessidades e expectativas do colaborador. Assim, o gerente age como coaching e passa a contar com uma equipe que busca crescimento e desenvolvimento profissional contínuo.

Gostou das nossas dicas? Então nos siga nas redes sociais — conheça todas elas clicando nos botões à direita da tela — e aproveite todo o nosso conteúdo para melhorar a sua gestão de equipes e se tornar um bom profissional!

Reciclagem de equipes: saiba como e quando fazer

A reciclagem de equipes é necessária para atualizar os funcionários sobre as mudanças do segmento no qual trabalham e, por vezes, para motivá-los. As empresas que possuem práticas que visam ao desenvolvimento humano por meio de treinamento conquistam aumento da motivação dos trabalhadores e, consequentemente, melhores resultados.

Os treinamentos de reciclagem podem ser feitos em qualquer momento, mas em duas ocasiões especiais são mais usais: quando uma nova metodologia de trabalho é implantada na empresa ou quando a equipe está muito desmotivada.

Separamos 6 dicas de como fazer a reciclagem de equipes. Confira:

1. Promova eventos de educação continuada

Incentive a troca de conhecimento entre os colaboradores e clientes. Isso mesmo, com os clientes! Em vez de ter workshops fechados de aprimoramento apenas para os colaboradores, abra também para seus clientes e outros públicos de relacionamento. Com certeza isso irá transmitir que a sua empresa se preocupa com o aprendizado não apenas da sua equipe, mas com o desenvolvimento do segmento de atuação do seu negócio, gerando valor para o mercado e para a sua marca.

2. Crie metas atreladas à capacitação

Promova treinamentos com base em um plano de carreiras e nas metas estipuladas pela empresa para promoção. 

3. Incentive o conhecimento compartilhado

Quando um funcionário ler um livro, for a uma palestra ou outro tipo de evento, incentive-o a compartilhar suas experiências. Não precisa ser algo demorado ou sofisticado. Um espaço de 20 minutos no começo ou final do dia são suficientes para que a equipe passe a compartilhar novas ideias e se atualizar. Com isso, além de contribuir para a melhoria do desempenho do colaborador que compartilha o conhecimento, toda a equipe cresce e se atualiza.

4. Faça do aprendizado parte da cultura da empresa

Criar um ambiente em que o aprendizado é valorizado tem muito mais efeito dentro de uma empresa do que simplesmente pagar cursos ou incentivar custeando faculdades. Quando uma equipe começa a sentir os efeitos positivos da reciclagem dentro de uma empresa, as pessoas começam a buscar mais e mais conhecimento.

5. Crie um espaço para os estudos

Com um local adequado para as pessoas se concentrarem e buscarem o conhecimento, tudo flui melhor e mais rápido na busca pelo conhecimento. Experimente fazer uma biblioteca. Não é necessário grande quantidade de livros, mas é importante que o material seja atual e que a bibliografia acrescente conhecimento para a equipe.

6. Invista em treinamentos online

Muitas empresas e profissionais culpam a falta de tempo pelo fato de não se atualizarem. Os treinamentos online podem ser uma ferramenta importante para quem precisa e realmente tem interesse em se qualificar, pois dão a possibilidade do próprio aluno fazer seus horários.

Por fim, se mesmo com estas dicas, você ainda tiver dificuldade de implementar programas de reciclagem e aprendizagem na empresa, contrate uma consultoria especializada para auxiliá-lo. Existem profissionais especializados em criar metodologias focadas na necessidade de cada cliente. Por meio de uma análise inicial são identificados os pontos mais críticos de uma organização e é traçado o plano de treinamento e reciclagem a fim de suprir as necessidades dos funcionários e, consequentemente, da empresa.

Gostou as nossas dicas sobre reciclagem de equipes?  Deixe seu comentário!

Como minha equipe pode se beneficiar com o coaching?

Algumas empresas procuram evoluir buscando soluções novas a todo momento. Dentre os principais elementos de uma organização, podemos destacar o capital humano, cujo papel é central no seu desempenho final.

Quanto mais a empresa investir na sua equipe, maior será o seu crescimento. O coaching é uma dessas soluções que podem trazer essa evolução. Portanto, mostraremos aqui como sua equipe poderá se beneficiar com o coaching!

O coaching para equipe nas empresas

Um profissional de coaching que trabalha para empresas é aquele responsável por fazer uma avaliação mais profunda acerca dos colaboradores em relação aos resultados da companhia. Alguns de seus principais benefícios são a diminuição do retrabalho e o alcance de metas estabelecidas.

Realizando uma análise da organização, suas variáveis internas e externas e o desempenho da equipe no geral, ele realiza uma espécie de diagnóstico que norteará suas ações. 

A partir disso, o seu objetivo é desenvolver potenciais, apontar mudanças estratégicas e incentivar práticas que levarão a bons resultados. É possível descobrir novos líderes, por exemplo, desenvolver gestores e aprimorar estilos de liderança já adotados. O aprimoramento de desempenhos é uma dos focos de atuação do coaching, que tem se demonstrado uma poderosa ferramenta de mudanças.

Por meio de uma metodologia que integra diferentes fases, o profissional traça metas para cada indivíduo, fornecendo todas as ferramentas necessárias para alcançá-las.

As fases do coaching de equipe são : Forming, Storming, Norming e Performance. Trabalhando em cima de cada ação, é possível trazer as mudanças desejadas. Alguns dos conceitos trabalhados no coaching empresarial são:

  • Habilidade comportamental;
  • Olhar estratégico;
  • Capacidade de Planejamento;
  • Autoconfiança;
  • Gestão de mudanças.

Ele inaugura um caminho a ser percorrido que levará ao nível mais pleno de sucesso daquela equipe por meio do desenvolvimento pessoal e profissional.

O coaching e os outros tipos de treinamento

Já existem diversas modalidades de treinamento no mundo empresarial e o motivacional é um deles. Todavia, embora se confunda o coaching para equipe com esse tipo de trabalho, existem características pontuais que demarcam o território do profissional coach:

  1. O coaching trabalha potenciais que, somados, trazem benefícios ao grupo;
  2. Fornece uma análise mais profunda acerca da conduta de cada um e dos resultados que ela tem gerado;
  3. O coach discute pontos de vista, trabalha conteúdos estagnados e estimula potenciais que possam estar adormecidos;
  4. Trabalha em cima do conteúdo trazido pelo indivíduo, bem como dificuldades relatadas, em vez de chegar com um conteúdo pronto, como seria em um treinamento.

Muitas pessoas possuem objetivos definidos, precisam de mudanças para alcançá-los, mas desconhecem o caminho a ser percorrido, desde o primeiro passo até aquelas ações que atrapalham o progresso profissional. Nesse caso, o coaching atua justamente na elucidação de todo esse processo, bem como na estruturação dessa trajetória

Cada indivíduo possui uma função dentro de um grupo, o qual funciona como um organismo vivo. Por isso, é preciso ter um grau de congruência, que só será alcançado se todos estiverem conscientes do seu papel.

Gostou de saber sobre o coaching em empresas? Deixe um comentário nesse post e conte-nos o que achou!

Quando é hora de contratar um coaching empresarial?

O processo de coaching empresarial consiste em uma ferramenta de gestão cujo objetivo é fazer com que seus clientes, empresas e colaboradores tornem-se capazes de tomar decisões importantes mediante o desenvolvimento de suas habilidades de liderança.

Essa importante ferramenta administrativa é utilizada com frequência pelas maiores companhias do mundo e tem como foco os principais aspectos do universo empresarial. Neste artigo, tratamos de esclarecer qual é a melhor hora para contratar um serviço de coaching executivo.

Soluções com a contratação de um coaching empresarial

O coaching profissional pode ser contratado por qualquer empresa e, ao contrário do que frequentemente se pensa, é necessário também para companhias com bom desempenho e não apenas em situações ou setores que apresentam falhas.

Os especialistas na área afirmam que as empresas que optam por contratar o coaching, ainda que seu processo não apresente falhas, são as que obtêm maiores benefícios do processo. Afinal, nada é tão bom que não possa ser otimizado.

O processo de coaching é indicado para toda empresa que vise otimizar seu processo de produção e prestação de serviço mediante a qualificação dos colaboradores no sentido de desenvolver suas habilidades para identificar as falhas do processo de gestão e produção, agindo de acordo com a realidade, necessidades e recursos da empresa.

Consultoria para colaboradores

O trabalho de coaching aumenta o desempenho das pessoas visando a melhores resultados, o que proporciona às empresas um crescimento mais rápido e eficaz mediante o aprimoramento de seus executivos. Como consequência, o desenvolvimento de importantes características de líderes, como agilidade e clareza no que diz respeito à tomada de decisão.

Entre as habilidades desenvolvidas nesse processo estão:

  • Melhora de elaboração e implantação de planos estratégicos;

  • Elevação da capacidade de liderança e trabalho em grupo;

  • Agilidade e esclarecimento para tomar decisões importantes;

  • Desenvolvimento de outras habilidades;

  • Autoconfiança;

  • Aprimoramento da postura profissional.

O coaching empresarial fornece aos clientes a capacidade de se renovarem tanto na vida pessoal quanto na vida profissional, ao torná-los capazes de analisar com precisão todos os detalhes ligados aos dois âmbitos. Os líderes da empresa elevam seu nível de produtividade, ao mesmo tempo que se sentem mais valorizados, confiantes e satisfeitos com o próprio trabalho.

Gestão estratégica

As empresas que utilizam com frequência os serviços de coaching empresarial tornam-se mais bem preparadas para gerir questões de suma importância relativas à sua gestão, tais como:

  • Capacidade de planejamento;

  • Visão sistêmica;

  • Habilidade comportamental;

  • Liderança;

  • Gestão de mudanças.

O processo de coaching funciona como uma poderosa ferramenta no que diz respeito ao desenvolvimento e identificação de novos líderes em potencial, muito utilizada em momentos de transição nas instituições. Diversos departamentos do setor operacional da empresa, desde a contabilidade até o departamento de marketing, são beneficiados pelo processo de coaching.

O coaching empresarial é capaz de promover o desenvolvimento de gestores com grandes habilidades interpessoais, eficientes na tomada de decisões e com maior capacidade de planejamento devido à ampla capacidade de visão e análise de riscos.

Gostou do nosso artigo? Compartilhe conosco sua opinião e experiência deixando um comentário no post!

Comunicação corporativa: 5 ações para otimizá-la

Ter uma comunicação corporativa transparente é algo precioso dentro do ambiente organizacional, pois além de evitar conflitos, contribui para um clima produtivo e harmonioso entre as equipes.

Para ajudar sua empresa a alcançar a melhor comunicação interna possível, sem ruídos e que favoreça a produtividade e os seus resultados, apresentaremos 5 ações práticas no artigo de hoje. Acompanhe a leitura e confira!

1. Centralizar a divulgação de informações

Criar um mural em um lugar estratégico dentro da empresa é uma forma inteligente de centralizar anúncios e informações importantes. Seja próximo ao local do Coffee Break ou ao lado da sala de reuniões, o importante é que seja acessível a todos os colaboradores.

2. Utilizar a tecnologia na comunicação corporativa

Outra maneira de manter a equipe em contato e facilitar a comunicação interna é ter a internet como aliada. Desde chats e redes sociais para comunicação, como o Skype, até o uso de aplicativos de planejamento de projetos em conjunto, a exemplo do Trello, vale tudo, no que diz respeito a manter a equipe no mesmo direcionamento.

É importante, porém, tomar cuidado para que cada equipe não escolha um meio de comunicação diferente, pois isso acaba por fragmentar os canais comunicativos dentro da empresa, o que traria o efeito oposto ao pretendido inicialmente.

3. Adotar o hábito de dar feedback

Dar feedback é uma ação essencial para o desenvolvimento dos colaboradores. Deixá-los saber sobre suas potencialidades e fragilidades permite que eles tragam, cada vez mais, resultados satisfatórios para a empresa.

É bom lembrar que além de dar feedback é fundamental recebê-los da mesma maneira. Assim, os líderes também têm a possibilidade identificar seus erros e trabalhar na sua correção, junto aos colaboradores.

4. Organizar reuniões gerais informativas

Organizar reuniões semanais mais casuais, somente para manter as equipes informadas sobre o que acontece em cada setor, pode até parecer uma ação pouco efetiva a princípio, mas acredite: o simples ato de se preocupar em informar os colaboradores sobre o andamento dos processos e resultados da empresa, setor por setor, causa dois efeitos importantes:

  • O primeiro deles é em relação a comunicação propriamente dita, já que, dessa forma, o conflito de informações é eliminado;

  • O segundo diz respeito à motivação e produtividade, pois essa abertura de canal comunicativo ajuda a manter os colaboradores engajados com os objetivos da empresa.

5. Implantar periódicos virtuais ou impressos

Seja um jornal impresso ou periódicos distribuídos via e-mail, essa é uma maneira interessante de manter as equipes sempre antenadas sobre as últimas novidades da empresa. Se não agradar a ideia de um jornal, ela pode ser adaptada ao formato de “recados do dia” ou “recados da semana”, via e-mail.

O interessante é descobrir e implementar uma maneira de repassar informações essenciais de uma forma descontraída e, ao mesmo tempo, efetiva.

Além de facilitar a comunicação corporativa, procure criar oportunidades para que os colaboradores interajam entre si, estreitando os laços com suas equipes. Happy hours e confraternizações costumam causar um efeito positivo na comunicação e no clima organizacional, em médio e longo prazo.

Deu para notar que otimizar a comunicação corporativa é possível com ações simples, não é verdade? Se você achou este artigo útil, assine nossa newsletter e se mantenha a par de todas as novidades sobre o Desenvolvimento Humano!

5 maneiras de desenvolver o trabalho em grupo na empresa

Uma das principais atribuições dos gestores é o exercício da coletividade e do sentimento de união entre os colaboradores. Mas incentivar o trabalho em grupo na empresa é uma tarefa árdua e contínua.

É sempre importante cultivar o relacionamento e, para isso, é bom ter em mente algumas dicas que auxiliam a manter o clima no seu setor. Confira agora 5 maneiras de estimular o trabalho em grupo:

1. Comunicar é fundamental para o trabalho em grupo

Os gestores devem dar importância ao diálogo e valorizar as ideias dos funcionários. Já não há mais espaço para aqueles chefes à moda antiga, que apenas deliberam e não levam em conta o que seus funcionários têm a dizer.

Exercite a comunicação e mantenha a porta sempre aberta para conversar com sua equipe e procurar, através do entendimento, maneiras para solucionar problemas e aprimorar a relação com cada um.

2. Tornar as decisões coletivas

Alinhada com a filosofia do diálogo aberto está a ideia da tomada de decisão coletiva. Trata-se de uma forma de englobar as opiniões de cada colaborador e refleti-las nas decisões do grupo.

Um gestor, muitas vezes, nada mais é do que o representante de seus colegas e o coordenador e fiscalizador dos processos. Ou seja, nem sempre ele tem um conhecimento absoluto que lhe permite tomar as melhores decisões sozinho. Se é esse o caso, o melhor é contar com o apoio do seu time para encontrar a melhor saída.

3. Dar feedbacks e manter a transparência

Um dos maiores erros cometidos nas empresas é o desligamento de funcionários antes que eles tenham a oportunidade de reconhecer seus erros e se empenharem em melhorar.

O feedback é importantíssimo para alinhar o trabalho e criar esse tipo de oportunidade. Lembre-se que muitas pessoas cometem erros mas procuram meios de melhorar. Também por isso o feedback é fundamental: é por meio dele que se mantém a transparência quanto à satisfação com o empenho de cada um.

4. Delegar funções e tarefas

Na hora de distribuir o trabalho, é fundamental que o gestor conheça as capacidades, talentos e limitações de cada colaborador. Dessa maneira, é possível dividir os afazeres de forma eficiente e fazer com que cada um tenha um sentimento de união no trabalho, no sentido de perceber como a contribuição individual é fundamental para o resultado de toda a equipe.

Na hora de fazer essas divisões, é sempre bom tomar cuidado para não sobrecarregar ou deixar alguém com pouco trabalho. Esses dois cenários podem atrapalhar a integração dos funcionários. 

5. Dividir responsabilidades

Não há necessidade de manter o controle sobre todos os processos e tarefas executados na sua empresa. Lógico que, como todo bom gestor, é preciso acompanhar de perto. Porém, acompanhar é bem diferente de ser o responsável por tudo.

Delegar responsabilidades para cada colaborador é uma ótima maneira de transparecer a confiança depositada no trabalho dele e também um desafio útil para ver qual a capacidade do funcionário administrar situações mais complexas.

Essas são algumas dicas para auxiliar os líderes de equipe na construção de um trabalho coletivo em seu setor.

Se você gostou delas, assine nossa newsletter para adquirir mais conteúdo exclusivo como este. Aperfeiçoe a gestão da sua equipe recebendo textos direto na sua caixa de e-mail!

4 dicas para evitar retrabalho na sua empresa

Um dos maiores inimigos da produtividade é, sem dúvida alguma, o retrabalho. Esta palavra horrível foi criada para designar a refação de demandas profissionais que acabam por necessitar de tantos ajustes que fica mais fácil refazer todo o processo.

Apesar de ser algo comum, é possível alinhar os processos e apontar melhorias no ambiente corporativo que ajudam a reduzir os índices de retrabalho durante o expediente. Para alcançar este objetivo é preciso levar em consideração algumas dicas importantes para evitar o retrabalho.

Confira agora 4 dicas fundamentais para aumentar a produtividade e reduzir os índices de retrabalho na sua empresa!

1. Automatize os processos manuais

Algumas soluções tecnológicas foram criadas com o objetivo de reduzir o trabalho manual — e os possíveis erros que ele pode acarretar — em alguns processos realizados durante o trabalho. Esta modernização otimiza o tempo e a precisão e, por isso, é importante que os gestores considerem a automatização como uma solução pertinente no combate ao retrabalho.

Não se trata de retirar os afazeres de um colaborador, mas colocá-lo para exercer outras demandas que exijam mais de seus conhecimentos do que de suas habilidades manuais. 

2. Siga firme com o cronograma e os prazos

Em alguns casos, o retrabalho pode ser criado pelo descumprimento do cronograma. Um trabalho feito às pressas pode gerar resultados ruins e que acabam perdendo sua importância perante os deslizes. Para evitar que as coisas sejam feitas na correria, o gestor deve orientar sua equipe a cumprir o cronograma de trabalho, e isso significa ficar em cima para o cumprimento das metas e prazos. 

Lembre-se que a cobrança não deve ser abusiva ou enérgica demais, pois isso pode desconcentrar o funcionário e gerar ainda mais retrabalho. O gestor deve manter a equipe trabalhando conforme o relógio, porém, sem fazer uma cobrança indevida ou estipular prazos surreais. 

3. Planeje muito bem o trabalho 

Além de ser uma das demandas básicas de todo colaborador com cargo gerencial ou executivo, o planejamento do trabalho faz parte da rotina de todos os funcionários. Ao montar um esquema de trabalho para o setor, os líderes devem pensar de forma estratégica, levando em consideração os talentos e dificuldades de cada membro da equipe. 

Ter este mapeamento de habilidades faz com que seja possível distribuir as demandas de modo a obter melhores resultados e reduzir o índice de erros. Os chefes que simplesmente distribuem as tarefas sem muito critério podem criar um enorme problema de produtividade e redução das motivações, por isso é importante pensar que o planejamento e distribuição estratégica das demandas são uma ótima saída para evitar o retrabalho. 

4. Capacite os seus funcionários

Aos poucos está caindo em desuso a prática de contratar o “colaborador perfeito para a função”, aquele candidato que possui todas as demandas exigidas pela vaga e que não precisa de nenhum update em seus conhecimentos para performar bem. O motivo pelo qual as empresas não contratam este tipo de pessoa é um só: ele não existe. 

Funcionários precisam de treinamento e reciclagens de conhecimentos com constância, seja para acompanhar a evolução da empresa e do mercado ou para aprimorar conceitos bem estruturados. O gestor, preocupado com os índices de retrabalho em seu setor, deve cogitar ações de capacitação e treinamento dos colaboradores como uma forma de resolver o problema. Nem sempre a melhor solução é trocar as peças. Em alguns casos, basta algum tempo de treinamento para colher resultados mais expressivos!

Essas são algumas dicas importantes para evitar o retrabalho na sua empresa. Gostou? Se quiser ficar por dentro de mais novidades relacionadas à liderança e organização no trabalho, siga nossas páginas no Facebook, Twitter e Instagram! Nelas você encontra diversos conteúdos criados especialmente para auxiliar os gestores em seu cotidiano!

Planejamento de RH: saiba como alcançar melhores resultados

Fazer um planejamento de Recursos Humanos nos dias de hoje é fundamental, uma vez que o ambiente corporativo está cada vez mais exigente e rigoroso em seus processos. Empresas que seguem modelos de gestão antiquados precisam se adequar às novas tecnologias. Isso também evita que a empresa tenha perdas, em diversos sentidos, devido à falta de planejamento.

O planejamento de RH constitui na identificação e análise das necessidades da organização em termos de recursos humanos e o desenvolvimento de programas e políticas que visem suprir essas demandas a curto, médio e longo prazo. Desse modo, esse tipo de preparação inclui uma preocupação também com o futuro da organização.

Um bom planejamento de Recursos Humanos, principalmente quando integrado ao planejamento estratégico da empresa, fará com que ela alcance resultados cada vez melhores. Confira neste post algumas dicas de planejamento de RH que podem ajudar a alavancar os resultados de sua empresa!

Definição de metas no RH

Um bom planejamento de RH envolve a análise das necessidades da empresa e, a partir delas, a definição de metas para o setor. É importante definir metas no departamento de Recursos Humanos para não se perder de vista os objetivos que o setor precisa alcançar.

Vale lembrar que essas metas precisam ser coerentes com as possibilidades da empresa. Não adianta estabelecer objetivos inalcançáveis que vão gerar frustração por não serem atingidos.

Acompanhamento das metas estabelecidas

É sempre importante acompanhar o andamento das metas. Revisar todo o planejamento feito ajudará a adequar a definição de metas, caso necessário. Com isso, também é possível compreender os aspectos que estão indo bem e em quais se encontram as principais dificuldades.

Mesmo com esse acompanhamento, esteja à disposição da equipe para tirar dúvidas e ajudar a redefinir objetivos, quando necessário. Sempre tenha em mente o objetivo maior que a empresa almeja atingir.

Uso de tecnologias de gestão de pessoas

A utilização de tecnologias de gestão de pessoas pode ser uma ótima maneira para melhorar os resultados de sua empresa. Busque sempre tecnologias simples, inteligentes e que sejam fáceis de utilizar. Além disso, busque as tecnologias que proporcionem resultados direcionados para sua empresa.

Os softwares de inteligência analítica são ótimas ferramentas para o RH. Através deles, os dados relevantes são coletados e compartilhados com todos os departamentos com segurança. Eles permitem que todos fiquem sabendo o que está acontecendo na organização e no departamento de RH e podem ser importantes para um melhor planejamento desse setor.

Análise de energia organizacional

A energia organizacional consiste no que permite o bom funcionamento de uma organização. Ela é a força que define a intensidade com que uma equipe mobiliza seu potencial para atingir suas metas.

Essa energia é um reflexo da atividade dos gestores, sendo imprescindível que os líderes se esforcem para efetuar melhorias na organização. O planejamento de RH deve analisar a energia organizacional, pois, a partir dessa observação, é possível traçar novos objetivos para melhorar a performance da organização.

Uma boa análise da energia organizacional permite elaborar projetos que melhorem a produtividade da empresa, e consequentemente, ajudam a obter melhores resultados.

Por fim, vale lembrar que medidas como essas são fundamentais para otimizar o desempenho do departamento de Recursos Humanos e impulsionar os resultados da organização. Por isso, não deixe de elaborar um bom planejamento de RH em sua empresa!

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos em suas redes sociais e colabore para que outras pessoas entendam como alcançar melhores resultados!

Gestão de pessoas: 5 coisas que todo grande líder tem em comum

gestao-de-pessoas-5-coisas-que-todo-grande-lider-tem-em-comum29004

Qual o perfil de um líder? Como realizar gestão de pessoas? Liderança é vocação ou aprendizado? Quando se trata de um grande líder não existe uma fórmula secreta ou mesmo uma receita mágica que construa o perfil de liderança, mas uma coisa é certa: é preciso agir de forma correta e motivar a equipe continuamente para alcançar melhores resultados, o que requer conhecimento por meio de treinamento, e não apenas de vocação.

Por muito tempo empresas tiveram na linha de frente — algumas ainda têm — a figura de um chefe rígido e autoritário, em que “manda quem pode, obedece quem tem juízo”. Mas os tempos são outros e organizações têm procurado um perfil diferenciado de pessoas para conduzir a equipe de trabalho. Esses são os líderes!

É claro que alguns já têm uma postura nata de liderança e sabem exatamente como conduzir uma equipe. Outros, porém, podem aprender a liderar e a desenvolver práticas ao longo do tempo, passando a ter forte influência sobre os seus liderados, que veem na figura do líder o reflexo de valores motivacionais para a busca de melhores resultados.

Mas quais as características que definem um líder? Vejamos 5 posturas comuns que levam a umagestão de pessoas eficiente. Confira!

1 – Delegam tarefas

A ideia de centralizar as decisões numa só pessoa já não comporta as novas estruturas organizacionais. Líderes confiam na sua equipe e sabem que é preciso delegar as decisões.

Nem sempre é possível cumprir pessoalmente a agenda da organização ou mesmo participar das reuniões, mas confiar naqueles que estão ao seu redor e nortear as suas escolhas é o grande papel de um líder. Eles dividem suas visões e, por isso, compartilham seus objetivos com todos os envolvidos.

2 – Têm autoconhecimento

Antes de entender as necessidades das outras pessoas, um líder precisa conhecer bem a si mesmo. Buscar treinamento e aperfeiçoamento das competências e habilidades de liderança não é apenas um grande benefício profissional, mas contribui para o próprio desenvolvimento pessoal.

Segundo uma pesquisa feita em março de 2013 com 4.392 executivos brasileiros pela empresa de treinamento corporativo LAB SSJ, as lideranças chegam despreparadas frente às decisões da empresa. A pesquisa destacou que apenas 14,5% dos profissionais que são promovidos a cargos de liderança recebem uma orientação formal antes de assumir as posições. E o resultado não poderia ser pior: 60% dos novos gestores falham nos dois primeiros anos diante do cargo.

É muito importante que o líder esteja sempre buscando inovações, pesquisando, reciclando e estudando, o que gera mais credibilidade das suas ações diante do seu time.

3 – Assumem seus erros

Ser líder não significa perfeição, muito pelo contrário, um líder assume suas falhas e aprende constantemente com estes erros, garantindo que não aconteçam mais e que não comprometam osresultados da empresa.

Além disso, um bom líder dá a cara para bater em nome da sua equipe de trabalho, diagnosticando o erro e posicionando todos no rumo correto, sem que ninguém seja apontado como culpado ou desproporcionalmente prejudicado.

4 – Trabalham juntos e potencializam o empenho individual

Líderes agradecem. Líderes elogiam. Líderes questionam. Líderes celebram as vitórias. O mundo já não é mais centrado na hierarquia e demanda profissionais que compartilhem mais e mandem menos.

O líder tem que estar acessível e aberto a ouvir o que os outros têm a dizer. Só assim o time se sentirá mais próximo e terá mais confiança nas suas ações. Além disso, um grande líder reconhece talentos individuais de cada um da sua equipe, potencializando as habilidades e competências e gerando oportunidade para que cresçam dentro da empresa.

5 – Partilham informações

Os liderados precisam saber para onde estão indo e qual a melhor maneira de alcançar melhores resultados. Uma equipe conduzida às cegas não será tão produtiva quanto as que participam das decisões da empresa e sabem o que acontece dentro dela. Quanto mais o líder partilhar as informações e delegar tarefas, maior será o empenho e comprometimento da sua equipe.

E você, como vê o papel da liderança dentro de uma empresa? Compartilhe conosco sua opinião deixando um comentário nos campos abaixo!

6 erros na gestão de pessoas que você não deveria cometer nunca

35658-6-erros-na-gestao-de-pessoas-que-voce-nao-deveria-cometer-nunca

Quando os resultados da equipe não são os esperados e os funcionários estão desmotivados, a razão pode estar em uma gestão de pessoas mal aplicada. Estamos em um momento de mercado no qual a valorização do capital humano é vital para o sucesso e a continuidade dos negócios, podendo se tornar um verdadeiro diferencial competitivo.

Afinal, quando o colaborador se sente valorizado ele veste a camisa da empresa e pode ter seu potencial melhor explorado. Quando isso acontece aumenta a produtividade e metas  são mais facilmente alcançadas.

Segundo especialistas, a cada dia mais empresas estão descobrindo que o seu maior patrimônio são os colaboradores internos e reconhecendo a gestão de pessoas como um investimento e não um custo. Nesse contexto, até mesmo pequenos descuidos podem ter reflexos muito negativos para o grupo, o líder e a organização. Para evitar esse tipo de problema, conheça os 6 erros mais comuns no mundo corporativo e saiba como evitá-los.

Ter pouco foco nas pessoas

Alguns gestores acham que basta ser muito “técnico” para liderar uma equipe e se esquecem de que investir em pessoas é fundamental. Não basta focar em resultados, pois para alcançá-los com excelência é preciso que os colaboradores queiram dar o seu melhor. A solução é simples (embora muitas vezes ignorada): ouça o que sua equipe tem para dizer, tratando todos com educação e respeito.

Negligenciar a qualidade de vida

Um dos fundamentos básicos da gestão de pessoas é pensar em clima organizacional e qualidade de vida. Ainda assim, há líderes que subestimam a importância do bem-estar dos funcionários para osresultados do negócio. Outros ainda ignoram que a pessoa tem uma vida (e problemas a resolver) fora do trabalho.

Com gestores desse tipo, é normal que haja grande rotatividade em uma empresa. É preciso compreender que ser líder é também ser meio psicólogo para entender quando a performance do profissional está sendo afetada por questões pessoais e ajudá-lo nesse processo.

Não reconhecer méritos

Nada mais desestimulante do que dar o seu melhor e não ser reconhecido. Boa parte das vezes isso acontece não por vontade, mas por esquecimento ou desatenção. Esse tipo de atitude acaba com o engajamento e afasta o gestor de seus subordinados. Busque descobrir como recompensar de maneira justa quem tem bom desempenho.

Não dar feedback

Um feedback mal realizado, ou a ausência dele, é uma das causas da queda do desempenho nas equipes. Quando um gestor não se comunica com os colaboradores, não está capacitado a dar um retorno efetivo sobre as suas habilidades, competências e possibilidades.

Dessa forma, é comum que o profissional se sinta perdido ou desvalorizado. Para dar um bom feedback é preciso encontrar pontos fortes que possam ser desenvolvidos em cada um de seus funcionários. Durante a conversa, mostre que está acompanhando sua evolução e alinhe objetivos. Para reter talentos é preciso cuidar deles.

Exigir tarefas impossíveis

“O cliente tem sempre razão”. A máxima é muito repetida, mas nem sempre viável. Obviamente, todos querem entregar o melhor serviço ou produto, muitas vezes indo além do que era esperado. Mas, às vezes, isso simplesmente não é possível!

Por isso, não prometa prazos impraticáveis ou tarefas que vão além da expertise da equipe. Esse tipo de atitude vai contra os princípios da gestão de pessoas, pois estressa  e desestimula os colaboradores, podendo ainda causar danos à imagem da empresa.

Sobrecarregar membros da equipe

Delegar tarefas é parte importante da gestão de pessoas, já que pode valorizar talentos e motivar os colaboradores. Mas esteja atento para não sobrecarregar os que considera mais talentosos. Caso contrário, pode exauri-los ou mesmo perdê-los.

Um estudo da Universidade de Stanford apontou que a redução na jornada de trabalho pode ser positiva para a produtividade. Assim, uma boa maneira de aumentar as responsabilidades ou o fluxo de trabalho de um profissional é promovê-lo.

Comprometendo-se em não repetir esses erros corriqueiros você está no caminho para se tornar um líder focado em gestão de pessoas. A tarefa é simples, mas requer atenção constante e um trabalho muito próximo de seus colaboradores.

Para saber mais sobre gestão de pessoas, liderança, coaching empresarial, desenvolvimento humano e profissional, siga-nos no Facebook, Instagram, Youtube, Linkedin e Twitter!