asasdh

Como escolher sua batalha e seu campo de batalha

Como escolher sua batalha e seu campo de batalhaA visão de Donald Trump

(Extraído do livro – Nós queremos que você fique rico – “Donald J. Trump e Robert T. Kiyosaki)

Quando estava começando a negociar com imóveis, eu poderia ter ficado com o negócio de meu pai e ser bem sucedido, mas eu não teria me sentido realizado. Eu tinha meus próprios planos definidos, e queria lutar por conta própria para alcança-los. Se não tivesse feito isso, teria levado uma vida confortável, porém não estimulante. E também não teria vivido minha própria vida.

Temos que fazer uma reflexão para descobrir o que estamos destinados a fazer e ser. Imagine ir tocando a vida e mais tarde descobrir que, ao longo do processo, não encontrou seu próprio destino. Já presenciei alguns exemplos, e acho que essa é a melhor forma de se anular.

Se você não está vivendo sua própria vida, então quem está? Se você não pretende pensar em sua vida, então quem o fará? Você está aqui agora, portanto, dê a sua vida plena atenção!

Sempre penso em batalhas e campos de batalha no sentido de que são arenas. Todos escolhemos – até certo ponto, espero – a arena em que pretendemos lutar, e em que arena gostaríamos de lutar. Isso se resume a ter objetivos e visões de nossas conquistas e realizações. Às vezes, é difícil mudar de círculo, mas, em geral, é para melhor.

Podemos ser muito influenciados por pessoas com quem convivemos, e não é fácil romper com elas e fazer coisas inesperadas. Talvez se passe algum tempo antes que você sinta estimulo suficiente para expandir seu próprio círculo, mas, no final, isso poderá leva-lo a uma arena repleta de eventos e de pessoas de quem você passará a gostar. Essa situação é muito semelhante a escrever seu próprio roteiro e, no fim, acabar gostando de assistir e de fazer parte dele.

A escolha é uma liberdade que todos podemos exercitar. Quando conheço pessoas que levam determinado tipo de vida porque gostam, mas do qual sei que não gostaria, lembro-me de um cardápio de restaurante – existem pratos para todos os gostos. E, se esse não for o caso, existem outros restaurantes pelos quais você pode optar. Essa é também uma boa maneira de evitar ser preconceituoso – gosto não se discute.

Certa vez,  ouvi alguém dizer que todos somos responsáveis por escrever nosso próprio filme, e esse filme é a nossa vida. Imagine-se escrevendo cenas – que tipo de cena você gostaria de escrever? Não creio que preferiríamos escrever cenas entediantes ou cenas sobre pobreza. Não só não teria nenhuma graça escrever esse tipo de cena, como também seria cansativo e deprimente assistir a elas.

Dê a si mesmo a liberdade de se transformar em alguma coisa ou em alguém que você realmente gostaria de ser.

 

Cristina Gomes 

Comentários: 2
Postar um comentário